Clipping Chifre da África #43

Líderes promovem conversões para homossexuais na Etiópia

Data: 06.09.2019

Influenciados pelo pensamento de Dereje Negash, padre cristão ortodoxo, líderes religiosos da Etiópia querem criar uma associação com intuito de mudar a orientação sexual dos homossexuais. Com a crença de que a homossexualidade afeta crianças e se espalha, esse grupo de pessoas quer, por meio de agressões; períodos de jejum; visita à monges e até mesmo “exorcismos”, alterar o posicionamento sexual dos envolvidos. Tal fato pode ser justificado pela hostilidade em relação às minorias existente na Etiópia, visto que o Estado etíope prevê até 15 anos de prisão por atos homossexuais e 97% da sua população acreditam que não é preciso aceitar a homossexualidade.

Fonte: Estado de Minas

Eritreia lidera lista de países que mais censuram mídia no mundo

Data: 10.09.2019

Segundo pesquisa realizada pelo Comitê para Proteção dos Jornalistas, a Eritreia lidera a lista dos países que mais censuram a mídia e jornalistas em território nacional. O governo é responsável pelo fechamento da mídia independente e pelo maior número de prisões de profissionais que estão sem julgamento. No país, apenas 1% da população tem acesso à rede, segundo a União Internacional de Telecomunicação das Nações Unidas. Esta lista é constituída apenas por Estados em que os governos controlam os meios de comunicação. Compondo as posições finais, temos: Coréia do Norte, que ocupa a segunda posição; Turcomenistão na terceira posição; e adiante, Arábia Saudita, China, Vietnã, Irã, Guiné Equatorial, Belarus e Cuba.

Fonte: R7

Cooperação Sudão-Egito

Data: 18/09/2019

De acordo com Ministro das Finanças e Planejamento Econômico do Sudão, Dr.Ibrahim Al-Badawi, a proximidade do Egito e do Sudão estão cada vez maiores. Tal proximidade pode ser visualizada pela cooperação do Egito em auxiliar o Sudão a anular a lista de países que patrocinam o terrorismo e ajudar com sua dívida externa. Além da cooperação do Egito com as questões terroristas, também foram analisadas, em seu encontro, questões sobre saúde, educação e ajuda em casos de desastres
ambientais.

Fonte: Sudan News Agency

Etiópia não aceita a proposta do Egito em relação à hidrelétrica que está sendo construída no Nilo

Data: 19.09.2019

A Etiópia, desde 2011, vem colocando em prática seu plano de construir uma grande hidrelétrica na África, tornando-se o maior exportador energético do continente. No entanto, desde então, impasses estiveram presentes em relação aos acordos de como a divisão do provimento hídrico será feita, já que outras nações também usufruem e necessitam do Nilo como sua fonte de água, como o Egito.É nesse sentido que Egito apresentou uma proposta à Etiópia sobre como essa divisão deveria ser feita, levando em consideração que 90% de sua água provém do Nilo. No entanto, ao analisar as sugestões egípcias, o governo etíope considerou a quantidade de água que estava pedindo inadequada, julgando as ideias colocadas ali até mesmo como ameaças à soberania de seu Estado. A partir disso, a Etiópia pretende apresentar uma contraproposta que não prejudique suas intenções de desenvolvimento e de conquista de benefícios a partir da construção de sua barragem. Como pretende-se que a hidrelétrica comece suas atividades no próximo ano (2020) e esteja em pleno funcionamento em 2022, essas questões se mostram urgentes a serem resolvidas, a fim de garantir que os Estados que utilizam o Nilo e tangenciam a região não sejam prejudicados, principalmente em seus períodos de seca.

Fonte: Al Jazeera

Sudão: PM lança investigação independente sobre repressão militar

Data: 22.09.2019

O primeiro-ministro sudanês, Abdalla Handok, comunicou a criação de um comitê independente para investigar a repressão ocorrida durante os protestos contra o Conselho Militar de Transição, que, após a queda de Omar al-Bashir, governou o país por aproximadamente cinco meses. Desde de junho, quando ocorreu a repressão, os manifestantes civis exigem o estabelecimento de uma investigação internacional independente, mas, como parte do acordo de transição, foi estabelecido um comitê liderado pelo Sudão. Segundo os protestantes, 128 civis foram mortos devido às ações do então governo. No entanto, os militares dizem que ocorrem apenas 87 e têm acusado grupos paramilitares pelo acontecimento.

Fonte: DW

SPLA-IO’s top general defects to government

Data: 22.09.2019

Após ataques deliberados do rebelde Riek Machar que culminou na morte de civis, o major James Ochan Puot decidiu desertar do líder de oposição para se unir ao presidente do Sudão Salva Kiir. Puot colocou em vigor um conselho militar provisório de grupo separatista com o intuito de salvaguardar a população de qualquer violação advinda do líder do SPLA-IO, Machar.

Fonte: Tamazuj


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.