Clipping África Austral #36

África do Sul ficará de quarentena por 21 dias a partir do dia 26/03

Data: 23/03/2020

O presidente sul africano já havia decretado fechamento de escolas e distanciamento social, porém, após uma semana, teve o retorno de que, em apenas sete dias, o país passou de 60 contaminados para 400. Assim, Ramaphosa decidiu que é necessária uma quarentena por três semanas para evitar o pior dos cenários. Além disso, defendeu que as vidas humanas que podem ser perdidas têm um peso muito maior do que aqueles empregos que também serão, visto que muitos na África do Sul são mais vulneráveis devido ao HIV e a malnutrição, podendo contribuir para o aumento de óbitos.

Fonte: The Guardian

Comissão eleitoral do Malawi anuncia reprise em 2 de julho

Data: 23/03/2020

A população do Malawi retornará à reprise das eleições presidenciais em julho, conforme o ordenado pelo Tribunal Superior do país, responsável por anular os resultados das eleições do ano passado, alegando irregularidades. Anunciando que novas eleições ocorrerão no dia 2 de julho, a decisão histórica do mês de fevereiro anulou o resultado das eleições de 2019, apontando, “em caso particular[,] o uso maciço de corretor nas folhas de registro”. Peter Mutharika, presidente eleito, recorreu ao tribunal, e será ouvido no mês de abril. O caso representa a primeira vez que uma eleição presidencial foi contestada por motivos legais no Malawi desde sua independência.

Fonte: Al Jazeera

Insurgentes em Moçambique atacam perto de plantas de indústrias de gás

Data: 23/03/2020

O projeto industrial bilionário de Exxon Mobil and Total, em Moçambique, foi atacado por insurgentes jihadistas na região norte do país, ferindo dezenas de civis. Em resposta, o governo enviou tropas do exército para combatê-los, tendo em vista que o local se tornou uma zona de combate entre o Estado e os rebeldes.

Fonte: New York Times

Residentes lamentam ataques no Norte de Moçambique

Data: 24/03/2020

Mocimboa da Praia, uma cidade no norte de Moçambique na província de Cabo Delgado, foi vítima de ataque por grupos armados que tomaram a cidade pela segunda-feira (23). O grupo jihadista Ahlu Sunnah Wajama assumiu a responsabilidade de uma série de ataques na região norte de Moçambique que destruiu residências, assassinou civis e promoveu terror na madrugada. Os moradores da região reclamam da falta de iniciativa do governo em resolver a situação. De acordo com moradores, mesmo que a situação tenha sido contida, o medo ainda prevalece. A Anistia Internacional pede que o governo reforce os esforços para proteger civis de novos ataques.

Fonte: Al Jazeera

Coronavírus pode significar cancelamento da temporada de caça no Botsuana

Data: 24/03/2020

A temporada de caça a elefantes foi suspensa em Botsuana, devido à pandemia do coronavírus. O banimento à caça havia sido suspenso em 2019, com a justificativa de que a população desses animais aumentou ao ponto de que os meios de subsistência dos agricultores estavam sendo afetados. A Associação de Produtores de Vida Selvagem da Botsuana (BWPA, na single em inglês) demandou a extensão da temporada de caça, a começar em abril. Por outro lado, os defensores de direitos dos animais requerem que o presidente reinstaure o banimento, afirmando que se trata de uma excelente oportunidade de o país repensar o trato dado a esses animais, que remete à época colonial, e encontrar formas sustentáveis de se beneficiar economicamente dos elefantes.

Fonte: Al Jazeera

Fronteiras da Zâmbia continuam abertas apesar do coronavírus

Data: 25/03/202

O presidente Edgar Lungu, após adotar as medidas de prevenção para a expansão do vírus como fechamento de bares, academias, cassinos e suspender voos internacionais com presentes exceções, deixou claro em um anúncio que não fecharia as fronteiras para não enfraquecer a economia zambiana.

Fonte: BBC

Mais de 60 pessoas achadas mortas em um container de carga em Moçambique

Data: 25/03/2020

Um container foi encontrado com mais de 60 mortos, os quais foram reconhecidos como imigrantes etíopes que haviam partido do Malawi, visto que o Moçambique é usado como rota de migração para a África do Sul. Os corpos das vítimas, mortas, supostamente, por asfixia, foram encontrados em uma carga de contêineres na Província de Tete, em Moçambique. Dentre os 64 mortos, foram encontrados 14 sobreviventes à asfixia, todas sofrendo de exaustão e desidratação.

Fonte: Al Jazeera

OIM apoia sobreviventes de caminhão encontrado com 64 mortos em Moçambique

Data: 25/03/2020

A Organização Internacional para Migração, juntamente com autoridades de Moçambique, coordena ações imediatas no auxilio aos sobreviventes encontrados em um contêiner de carga, onde foram encontrados 64 etíopes asfixiados. Segundo relatos, “os sobreviventes estão profundamente traumatizados”. Os etíopes viajavam sem documento para a África do Sul, onde Moçambique faz parte da Rota do Sul, uma via migratória que é muito utilizada pelos migrantes para ter acesso às oportunidades econômicas e proteção.

Fonte: ONU News

Grupo jihadista assume responsabilidade pelos ataques no Norte de Moçambique

Data: 26/03/2020

Alguns dos ataques no norte de Moçambique foram assumidos por um grupo jihadista que usou um vídeo na internet para fazê-lo. No vídeo, os integrantes alegaram que a motivação das hostilidades se dá pela busca de implantar a lei islâmica no país. O grupo já acumulou mais de 900 mortes com seus atos de violência, causando a fuga de centenas de pessoas e preocupação às corporações de energia operando na região.

Fonte: News 24

Grupo armado “jihadista” no norte de Moçambique ocupa povoações e divulga vídeo.

Data: 26/03/2020

No dia 26 de março, foi divulgado um vídeo na internet pelos integrantes de grupo armado jihadista, que, há dois anos e meio, promove ataques em Cabo Delgado, província moçambicana. O grupo passou a seguinte mensagem: “Estamos a chamar, sempre, para [quem assiste à mensagem] vir aqui lutar sob esta bandeira (…), não queremos bandeira da Frelimo”, refere, defendendo “a lei que está no Corão, como alá [deus] falou”.  Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique) é o partido que está no poder desde a independência. O vídeo foi gravado de dia no muro da residência do administrador de Quissanga, vila da província de Cabo Delgado, invadida na quarta-feira e da qual toda a população fugiu.

Fonte: África Digital


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.