Clipping Chifre da África #22

Ataque aéreo dos EUA deixa 60 mortos na Somália

Data: 16.10.2018

O ataque aéreo de autoria dos EUA deixou cerca de 60 mortos, todos integrantes do grupo fundamentalista Al-Shabaab, que está associado à Al Qaeda. A ação foi um sucesso, como relatado pelas forças norte americanas, tendo precisão cirúrgica e, portanto, não ferindo nenhum civil. Tal ataque faz parte de um conjunto de ações, nas quais o governo da Somália, aliado aos EUA e outros parceiros internacionais, objetiva impedir eliminar o grupo Al-Shabaab. Segundo o Comando dos EUA para África, esses ataques visam impedir que o grupo se aproveitem dos “Safe havens” para poder aumentar sua capacidade e atacar os somalis. É importante ainda ressaltar que essas intervenções militares aumentaram durante o governo Trump, e são controversas, à medida que são acusadas também de ferir civis.

Fonte: BBC

O governo sudanês renovou o compromisso com o cessar-fogo unilateral até o final do ano, conclamando os grupos de refúgio a se unirem ao diálogo nacional

Data: 21.10.2018
O governo sudanês renovou o compromisso com o cessar-fogo unilateral até o final do ano, conclamando os grupos de refúgio a se unirem ao diálogo nacional. Em julho passado, o presidente sudanês Omer al-Bashir prolongou a suspensão unilateral das hostilidades por um período de seis meses até o final do ano. IBRAHIM, assistente presidencial pediu que a oposição e os grupos rebeldes em Darfur e nas Duas Áreas participem dos processos de paz e diálogo, expressando prontidão para alcançar e promover a paz. Ele apontou para a aceitação do governo da proposta das Nações Unidas para prestar assistência humanitária à população afetada nas áreas controladas pelos rebeldes nos estados de Kordofan do Sul e Nilo Azul. O objetivo da trégua unilateral foi inicialmente criar um ambiente propício para conversações mediadas pelo Painel de Implementação de Alto Nível da União Africana (AUHIP) para pôr fim ao conflito armado.

Fonte: Sudan Tribune

Os refugiados do Sudão do Sul não tem nada, mas a elite traz milhões de dólares

Data: 22.10.2018

De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) milhões de sudaneses migraram para Uganda em função dos conflitos. A situação dos refugiados do Sudão do Sul é precária, no entanto, a elite e políticos usufruem de milhões de dólares o que salienta a desigualdade social e a corrupção. No documentário The Profiteers, mostra-se os resultados da corrupção na fronteira entre Sudão do Sul e Uganda e destaca a National Risk Assessment Survey on Money Laundering by the Financial Intelligence Authority (Pesquisa Nacional de Avaliaçao de Risco Sobre a Lavagem de Dinheiro pela Autoridade de Inteligência Financeira) que revelou o locus do investimento dos lavadores de dinheiro e também a facilidade desse esquema que perpassa pelos bancos da Uganda.

Fonte: Daily Monitor

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.