Clipping África Austral #18

Comunidade na África do Sul constrói sua própria rede wi-fi

Data: 1º de abril de 2019

Os cidadãos de Mankosi construíram sua própria rede “Zenzeleni” de internet, que significa ‘faça você mesmo’. O negócio funciona através de vendas de vouchers com a senha do wi-fi por 30 dias que custa por volta de R$ 6,60 ao mês. O sistema pretende melhorar a qualidade de vida da população através da comunicação, podendo assistir notícias mesmo sem televisão e facilitando a vida dos estudantes quando precisam de informações para o dever de casa. Além disso, a coleta de dinheiro na venda de vouchers, é reinvestida em projetos da comunidade.

Fonte: BBC Brasil 

 

Angola procura reduzir importações de bens alimentares

Data: 02 de abril de 2019

Segundo o secretário de Estado e Agricultura de Angola, José Bettencourt, é necessária uma aposta na produção nacional, buscando assim reduzir a necessidade de importação de bens alimentares que geram altos custos anuais. Entretanto, para que tal fato aconteça é indispensável melhorias no que diz respeito a energia, água, produtividade, estradas e infraestrutura.

Fonte: Agência Angola Press

 

Autoridades de Moçambique vão investigar roubos de doações a vítimas do ciclone

Data: 04 de abril de 2019

O governo de Moçambique admitiu que houve desvios da ajuda humanitária às vítimas do Ciclone Idai. Foi criada uma comissão para fiscalizar e punir os responsáveis e o presidente moçambicano Filipe Nyusi solicitou a criação de uma entidade independente para gerir as doações depois dos relatos que chegaram ao seu gabinete. O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INFC) afirmou que também vai auxiliar na fiscalização dos alimentos. Segundo relatos, “se assume que colaboradores da instituição que dirige são desonestos ao facilitarem o desvio de produtos”.

Fonte: G1


Tribunal do Zimbábue proíbe chibatadas em jovens condenados

Data: 04 de abril de 2019

O portal de notícias estatal Herald relatou o caso de um menino de 15 anos condenado por estupro com sentença de seis chicotadas por um tribunal de primeira instância. Tal decisão repercutiu no tribunal do Zimbábue, que proibiu o uso de punição corporal para condenados menores de idade, afirmando que era desumano e contrário à Constituição.

Fonte: Africa News

 

Ataques múltiplos de xenofobia na África do Sul atingem 300 malauianos

Data: 03 de abril de 2019

Recentemente, cerca de 300 cidadãos originário de Malawi sofreram um ataque xenofóbico nas províncias de KwaZulu-Natal (Leste) e Limpopo (norte), na África do Sul, tendo que se refugiar em uma delegacia e em uma mesquita. Três responsáveis pelo ataque já foram presas.

Fonte: Agência Angola Press

 

Moçambique analisa casos de demissão e xenofobia na África do Sul

Data: 05 de abril de 2019

O Conselho Nacional de Defesa e Segurança de Moçambique (CNDS) recomendou ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação que acompanhasse as causas das demissões de centenas de moçambicanos que trabalhavam em uma mina na África do Sul, além de manifestações xenófobas contra seus cidadãos. Uma onda de ataques xenofóbicos surgiu na província de Durban e Limpopo o que fez com que a África do Sul convocasse uma reunião de embaixadores africanos e altos comissários para tratar desta temática, ainda que o governo sul-africano não reconheça tais atos como xenofóbicos.

Fonte: Deutsche Welle

 

Ciclone Idai é o mais mortífero a atingir Moçambique nas últimas 3 décadas

Data: 03 de abril de 2019

O ciclone tropical Idai atingiu o continente africano no dia 11 de março e é a tempestade mais mortífera que atingiu Moçambique nos últimos 30 anos, de acordo com uma pesquisa do AccuWeather. O fenômeno é responsável pela morte de 598 moçambicanos pelo que se tem conhecimento, porém é possível que o número de mortes seja maior, com vítimas arrastadas e enterradas durante a catástrofe. O Idai também matou pelo menos 259 pessoas no Zimbábue e 86 no Malawi. Além das mortes, o poderoso ciclone também deixou 128.000 pessoas sem moradia em Moçambique. O secretário geral das Nações Unidas, Antonio Guterres define o fenômeno como “uma das piores catástrofes climáticas da história da África”.

Fonte: AccuWeather 

 

Brasil enviará alimentos, remédios e bombeiros como ajuda humanitária a Moçambique

Data: 27 de março de 2019

O Ministro de Relações Exteriores brasileiro, Ernesto Araújo, informou que o Brasil enviará um pacote de ajuda humanitária a Moçambique. O país é um dos mais afetados pela passagem do ciclone Idai, no mês passado. Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e 12 toneladas de alimentos e medicamentos serão enviados. O pacote humanitário se junta à doação de 100 mil euros que o Itamaraty já anunciou para os trabalhos emergenciais em Moçambique. Existe ainda a possibilidade de uma ajuda triangular com os Estados Unidos.

Fonte: O Globo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.