Clipping África Austral #29

Zâmbia e Angola estreitam cooperação comercial

Data: 14 de outubro de 2019

Empresários angolanos e zambianos instituíram, em Luanda, uma Câmara de Comércio e Indústria para promover as trocas comerciais entre os dois países. Segundo o Ministério das Relações Exteriores de Angola, as relações comerciais entre os dois ainda são muito informais e insignificantes, necessitando de incentivos. Enquanto a Zâmbia vê o estreitamento das relações com a Angola como forma de resolver seus graves problemas energéticos, os empresários angolanos se interessam pelas sementes agrícolas, carne bovina e outros produtos primários zambianos.

Fonte: Jornal de Angola

Anistia Internacional denuncia desvio de terras no sul de Angola

Data: 15 de outubro de 2019

A Amnistia Internacional (AI) denunciou nesta semana sobre o desvio de terras para a pecuária comercial não sul da Angola, e fizeram um pedido de investigação para saber sobre a retirada de terras às comunidades na região, as quais são vulneráveis a fome e insegurança alimentar. A organização ainda conta sobre o afastamento de milhares de pequenos criados de gado dando lugar a explorações pecuárias rurais. Além da questão de desvio de terras, ainda há o problema que pode piorar a fome a região: a seca no sul de Angola.

Fonte: Deutsche Welle

Moçambique: fim da votação que pode ser um teste para acordo de paz no país

Data: 15 de outubro de 2019

Depois de um período eleitoral marcado pela violência, os moçambicanos foram às urnas nesta terça feira (15). O partido Frelimo (que governa o país desde a independência de Portugal, em 1975) tem as maiores chances de vitória em relação ao rival, Renamo, um antigo grupo rebelde e inimigo da guerra civil que hoje constitui o principal partido da oposição. Com a expectativa de que o Frelimo permaneça no poder, a aceitação do resultado das votações por parte do Renamo (que afirma que não aceitará votos manipulados) coloca em teste o acordo de paz firmado entre os dois partidos.

Fonte: The Guardian

China vai assumir os ativos de mineração da Zâmbia

Data: 16 de Outubro de 2019

A demanda chinesa pelos ativos de mineração na Zâmbia se ajusta, segundo informações, a uma mudança na estratégia da país na África, a fim de se concentrar mais nas operações de empresas privadas, ao invés de dar apoios aos projetos que são criados pelo Estado. Tal problemática se dá ao fato de que as mineradores, muitas vezes, têm dívidas intermináveis, impossibilitando seu pagamento, de forma que a China acaba entrando como a credora. Assim, empresas chinesa visam a potencial venda de ativos, como as Konkola Copper Mines, da Vedanta, na Zâmbia, pois, devido a algumas investigações recentes sobre má gestão, as empresas de mineração ocidentais estão deixando diversos lugares. Outra recente explicação a isto também diz respeito a guerra comercial entre EUA e China, onde os credores chineses acabam tendo mais garantias na África devido a suas diversas iniciativas de cooperação e acordos implementados no país.

Fonte: African Exponent

FMI alerta que custo da dívida em Angola vai “subir significativamente”

Data: 16 de outubro de 2019

No âmbito dos Encontros Anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, em Washington, o FMI emitiu o relatório sobre a Estabilidade Financeira Global, que, entre outras coisas, colocou Angola na lista dos países cuja sustentabilidade da dívida permanece uma preocupação. Por conta da quebra das receitas petrolíferas em moedas externas (com consequente desvalorização da moeda local e aumento da inflação), a dívida pública angolana vem crescendo nos últimos anos e, segundo o documento, o custo de servir a dívida pública com financiamento de bancos comerciais tende a aumentar significativamente.

Fonte: Angola 24 horas

União Europeia critica condições desiguais nas eleições de Moçambique

Data: 17 de Outubro de 2019

Segundo relatos, as criticas dizem respeito a um primeiro momento as condições injustas ao uso de recursos estatais pelo partido no poder e a violência nas eleições. Mesmo que o resultado ainda não esteja disponível, é importante notar que testará um frágil acordo de paz entre o Partido Frelimo, no poder e seu antigo inimigo da guerra civil, que se tornou rival depois da oposição, e o Renamo. De acordo com observadores da União Europeia, tem-se um “cenário desnivelado e evidente em toda a campanha”, assim como se tem uma forte violência entre os partidos e uma desconfiança generalizada. O período que antecedeu a votação foi marcado por mortes e ataques de um grupo separatista de combatentes da Renamo. Representantes do Bloco da África Austral salientaram ainda que “os partidos e as pessoas devem ser pacientes e permanecer comprometidos com a paz”.

Fonte: Al Jazeera

Moçambique pós-ciclones: Qual é o poder da rádio em tempos de crise?

Data: 17 de outubro de 2019

Após o ciclone Idai e o Kenneth, o membro da organização não governamental chamada Health Communication Resources conta que encontrou um ambiente de destruição e caos. Com o projeto “First Response Radio”, proporcionou a oportunidade de ajudar vítimas dos ciclones em Moçambique através da criação de uma estação de rádio especial com esse objetivo. O projeto tem como propósito de facilitar comunicação, seja ela de informações como o tratamento e sintomas da cólera, observar transtornos pós-traumáticos, abertura das escolas, ou para achar parentes desaparecidos após a passagem dos ciclones.

Fonte: Deutsche Welle

Americanos e franceses apoiam reformas econômicas de Angola

Data: 18 de Outubro de 2019

O diretor geral da Agencia Francesa de Desenvolvimento, Rémy Rioux, afirmou que eles têm orgulho em ser um novo parceiro para a Angola, e que pretendem contribuir na retomada do seu crescimento econômico. O diretor prometeu apoio da sua instituição para implementação da agenda de reformas macroeconômicas, juntamente com a ministra dos Estados Unidos, Vera Daves, na qual fez a apresentação de medidas de reformas estruturais.

Fonte: Angola Press

Crises ambientais, vulnerabilidade infantil e o crime organizado – a caça furtiva de moluscos na África do Sul

Data: 18 de outubro de 2019

Na região de Overstrand, município da província do Cabo Ocidental da África do Sul, a caça dos moluscos abalones – muito valorizados em países asiáticos – está alarmante. De acordo com o Relatório anual de policiamento, apresentado ao Parlamento da Província do Cabo Ocidental, o policiamento nesta área, sobretudo em regiões portuárias, se encontra ineficiente, o que colabora para que o crime organizado se perpetue na região.

Um dos maiores problemas, porém, se dá pelo fato dessa prática criminal ser realizada por crianças. No relatório supracitado, moradores alegam que seus filhos estão sendo subornados, com roupas da moda e drogas. Com isso, essas crianças abandonaram as escolas e as famílias foram separadas pelos elementos criminosos; alguns dos jovens saíram de casa devido agravamento de sua condição de vício.

O Serviço de Polícia da África do Sul (SAPS) não consegue lidar com o problema da caça furtiva de abalones. Diz-se, em relatório, que os elementos da espécie são as fontes vivas marinhas mais ameaçadas e contrabandeadas. Para além disso, a colheita ilegal levou a uma perda de 628 milhões de rands (moeda local) por ano.

Fonte: The South African


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.