Texto Conjuntural – Chifre da África #20: A Juventude Eritreia

A Juventude Eritreia

Jennifer Ribeiro

Após terem sido silenciado durante muitos anos, por se acreditar na baixa capacidade de articulação de pensamento crítico e de reconhecimento das suas próprias necessidades e demandas, discute-se hoje a importância da participação política ativa das juventudes. Aqui, pretende-se primeiro apresentar os benefícios da participação dos jovens na vida pública e, em um segundo momento, analisar especificamente o caso da Eritreia, que vem nos últimos anos integrando os jovens nas políticas públicas. O objetivo principal desta análise é esclarecer a forma pela qual o país vem integrando a juventude e analisar os possíveis benefícios derivados dessa ação.

Incluir os jovens nas decisões políticas pode contribuir enormemente para o país. Uma vez envolvidos nos processos político e sociais eles tornam as decisão e políticas implementadas mais legítimas, podem oferecer novas perspectivas e soluções criativas para problemas, que podem ser incorporadas para melhorar a situação do local em que vivem, e “cria um espaço para os jovens usarem seus talentos e habilidades em benefício de toda a sociedade ou organização” (360 PARTICIPATION MODEL, 2017, s/p, tradução nossa). Os jovens, por sua vez, são beneficiados com o desenvolvimento da capacidade de liderança entre outras habilidades (360 PARTICIPATION MODEL, 2017).

Há ainda que se destacar as diferenças em relação a participação da juventude em organizações, que podem ser feitas por jovens, ou seja, serem criadas a partir da iniciativa deles; para jovens, criadas por adultos, mas direcionadas a esse público; e por fim, com jovens, ou seja, dentro da organização há participação das juventudes.

Para analisar a inclusão das juventudes, Araújo e Magalhães, 2009 sugerem que devem ser levados em conta fatores sociais, econômicos, políticos e de um contexto geral, no qual sejam identificados os tipos de relações e a cultura na qual estes jovens estão imersos. Apenas a partir desse entendimento é possível pensar a eficácia dessas políticas e de que maneira o Estado, ou até mesmo a comunidade internacional, pode pensar maneiras de conseguir promover/desenvolver a participação política das juventudes nos processos de tomada de decisão. Importante lembrar ainda que, não apenas a comunidade internacional pode fazer essa inserção, mas o próprio país tem o dever de fazê-lo.

O Estado da Eritreia tem como capital a cidade de Asmara, estando localizado na África Oriental, e no que se refere as condições sociais do país é possível perceber diversas dificuldades. O Índice de desenvolvimento Humano no país é de 0,44, muito baixo, e isso implica na baixa expectativa de vida – 65,5 anos e baixo tempo de permanência na escola – 5,4 anos. Para mais, apenas 1,2% da população possui acesso à internet e mais de 75% da população recebe no máximo 3,10 dólares por dia trabalhado (UNITED NATIONS …, 2018; CIA, 2019).

Visto isso percebe-se que as condições da Eritreia são bastante precárias, com preocupações para acesso a direitos básicos, como alimentação, moradia, sistema de justiça neutro e eficiente, acesso a água, saneamento básico e entre outros. Mesmo assim o país parece reconhecer o papel da juventude e vem adotando, com a ajuda de organismos internacionais, medidas que visam capacitar e incluir os jovens na vida política.

Importante destacar que nem todos os programas que visam a integração desse grupo não são de iniciativa governamental, muito por conta dos problemas apresentados anteriormente. Um exemplo disso é a União Nacional de Jovens e Estudantes da Eritreia (NUEYS) –sigla em inglês- que busca a melhoria de vida das juventudes por meio da capacitação de jovens. É interessante notar que essa organização não tem fins lucrativos e usa as práticas democráticas para reafirmar os jovens eritreus em sua cultura, zelando para que eles sejam suficientemente capazes de terem condições, no que diz respeito as habilidades e capacidade de liderança, de melhorar as suas próprias condições e as de todo país (NUEYS, 2013).

Neste ano a NUEYS, em parceria com a UNICEF Eritréia e com o apoio do governo promoveram um Workshop para capacitar os jovens e desenvolver neles ideias criativas para buscarem soluções para problemas locais. O encontro se mostrou muito produtivo, tendo sido desenvolvidas ideias inovadoras como fogões que reduzem o uso de lenhas e tijolos feitos a partir de cinzas vulcânicas, que são mais baratos e conseguem isolar melhor os climas extremos (UNICEF, 2019)

Tendo em vista tudo que foi apresentado, é possível afirmar que apesar da ação de diversas políticas problemáticas e dos diversos problemas sociais enfrentados, as organizações que atuam no país têm buscado se unir em nome de uma juventude mais ativa dentro da sociedade. É possível ainda perceber alguns resultados e, mesmo que de forma tímida. Contudo, essa foi a última ação registrada no país e, antes disso, existem outras que são temporalmente bastante espaçadas entre si. É possível observar então que, as ações, por não possuírem regularidade, não são suficientes para conseguir gerar mudanças significativas – jovens mais capacitados tecnicamente e com mais confiança, que podem, futuramente, ajudar na resolução de problemas regionais e alavancar o país para um novo patamar de desenvolvimento. Espera-se, portanto, o fomento da participação desses atores, com vistas a gerar uma participação cada vez mais efetiva das juventudes no país.

Referências Bibliográficas

360 PARTICIPATION MODEL. The importance of young people participation in the process of creating youth policy. 360 Participation Model: Theory. [S.l.], 2017. Disponível em: https://360participation.com/the-importance-of-young-people-participation-in-the-process-of-creating-youth-policy/. Acesso em: 08 nov. 2019.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. Youth in Eritrea gain skills to unlock employment opportunities. [S.l.]: UNDP, [2016?]. Disponível em: https://www.undp.org/content/undp/en/home/ourwork/ourstories/la-formation-professionnelle-pour-les-competences-et-lemploi-des.html. Acesso em: 06 nov. 2019.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. Eritrea: Human Development Indicators. S.l.: UNDP, 2018. Disponível em: http://hdr.undp.org/en/countries/profiles/ERI#. Acesso em 19 nov. 2018

ARAÚJO, Maria do Socorro S de; MAGALHÃES, M. Betânia. S. Organizações de/para e com jovens: ponderações sobre a participação juvenil. São Luís, 2008.

UNICEF. Eritrean youth conclude 5-day Idea Studio workshop on entrepreneurship skills for business creation. Eritréia: UNICEF, 2019. Disponível em: https://www.unicef.org/esa/stories/eritrean-youth-conclude-idea-studio-workshop. Acesso em 19 nov. 2018

NUEYS. Introducing NUEYS’ Program on Diaspora Youth Participation. [S. l.]: 2013. Disponível em: http://www.nueys.org/.Acesso em: 10 nov. 2019.

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.