Clipping Chifre da África #59

No mês do Ramadan, Fundação na Turquia faz doações para etíopes

Por Luana Paris em 01/05/2020

A Fundação Diyanet da Turquia doou toneladas de comida para pessoas consideradas necessitadas na capital da Etiópia, Addis Ababa. Tal ato de caridade está relacionado ao mês do Ramadan, período importante para o islamismo em que os crentes se aproximam mais dos valores da religião e passam por um período de renovação. Com a COVID-19, outros costumes cultuados pelo Ramadan, como a maior frequência de idas à mesquita, ficaram suspensas. No entanto, outros tipos de atividade, como essas ações de caridade, não permitem que as celebrações deste importante período sejam completamente apagadas. 

Além disso, esse feito demonstra uma força cooperativa existente entre a Turquia e a Etiópia, e até mesmo entre a Turquia e o continente africano, uma vez que esse Estado já investiu mais de  6 bilhões de dólares em diferente setores da África. Esse tipo de interação, principalmente em época de crise, é extremamente significativo, já que expressa um laço que pode ser determinante em um futuro a curto ou longo prazo. Isso porque os impactos que o novo coronavírus vai gerar ainda são desconhecidas, mas possuem grande potencial de desestabilizar economias e governos. Portanto, toda garantia de cooperação e aliança em um momento como esse é tida como valiosa e relevante. 

Fonte: Anadolu Agency (Agência internacional de notícias, alinhada e controlada pelo governo da Turquia)

Disponível em: <https://www.aa.com.tr/en/africa/turkey-brings-ramadan-cheers-in-ethiopia/1825656>.

Estados Unidos admite ter matado civis durante ataques aéreos na Somália.

Por João Lucas Gomes em 27 de abril de 2020

Em seu relatório, o AFRICOM (United States Africa Command), comando estadunidense para operações na África, admitiu ter matado em efeito colateral dois civis, além de ferir outros três. “Infelizmente dois civis foram mortos e outros três ficaram feridos em um ataque em fevereiro de 2019. Nós sentimos muito que isso tenha ocorrido”, disse o comandante do AFRICOM, o general estadunidense Stephen Townsend.

Ainda segundo o relatório, dois integrantes da Al Shabab, grupo terrorista fundamentalista aliado da Al Qaeda na região que busca derrubar o governo atual e implementar a Sharia na Somália, também morreram no ataque. Os dois civis teriam morrido com a explosão de munição, embora não esteja claro se a munição era dos Estados Unidos ou da Al Shabab. Esse é a segunda vez que os Estados Unidos matam civis na Somália de forma indireta. A primeira vez foi em 2018, quando dois civis morreram em um outro ataque aéreo.

A Anistia Internacional também comentou o relatório e embora tenha comemorado o passo importante que a publicação desses relatórios é para a transparência das ações estadunidenses na região, salientou que o AFRICOM deve assumir a responsabilidade pelo ocorrido e dar assistência às famílias dos mortos.

Fonte: Al Jazeera

Disponível em: <https://www.aljazeera.com/news/2020/04/admits-killing-civilians-air-attacks-somalia-200427175741741.html&gt;.

Soldados da Al Shabaab patrulam as ruas de Mogadishu

Fonte: Reuters, 5 de março de 2012.

ONU elogia criminalização de mutilação genital feminina no Sudão

Por Lorrayne Figueredo Batista em 03/05/2020

O Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, classificou como “histórica” a decisão do governo sudanês de criminalizar a Mutilação Genital Feminina (MGF) no país. A lei, que foi aprovada no dia 22 de abril pelos Conselhos Soberano e Ministerial do Sudão, foi resultado de “anos de advocacia persistente e vigorosa de todos os interessados.”. O ritual, que consiste na remoção de partes da genitália feminina, especialmente o clitóris, é motivado por questões culturais e tem como objetivo cessar o prazer sexual das mulheres e garantir a dignidade feminina. O representante do Sudão na Unicef, Abdullah Fadil, ponderou que “a prática não é apenas uma violação dos direitos de todas as meninas, é prejudicial e tem sérias consequências para a saúde física e mental.”, principalmente no país, onde a prevalência da MGF é uma das mais altas do mundo (de acordo com dados de 2014, 86,6% das mulheres tinham sido vítimas da mutilação). 

A proibição da mutilação carrega significados importantes para a sociedade sudanesa, visto que ela perpetua a desigualdade entre gênero e a submissão feminina. Contudo, Fadil pondera a importância de que exista um trabalho com as comunidades sudanesas para que a lei seja cumprida, visto que as raízes da MGF estão firmadas em crenças compartilhadas pela sociedade culturalmente. A intenção prioritária não é criminalizar, mas sim, reverberar a conscientização através dos diferentes grupos envolvidos, como parteiras, profissionais de saúde, pais e jovens.

Fonte: ONU News

Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2020/05/1712402>. 

Protestos em Mogadíscio após morte de civil pela polícia durante o toque de recolher do COVID-19

Por Gabriela Vieira Costa em 03/05/2020

A capital da Somália foi sacudida por protestos após um policial matar pelo menos um civil durante o toque de recolher no país. A fatalidade aconteceu após um tiroteio no dia 24 de abril, sexta-feira, enquanto era aplicada a medida de restrição ao coronavírus. Segundo autoridades, o policial envolvido na morte do cidadão somali foi detido e responderá pelo ocorrido. A população foi às ruas para manifestar contra a ação da polícia, que tem sido acusada de abusos de forças, incluindo espancamentos. O vice-comissário da polícia, Zakia Hussen, afirma que é a primeira vez que ocorre esse tipo de situação durante a execução do toque de recolher, que já vem acontecendo há um tempo. Essa medida foi adotada numa tentativa de frear a proliferação do novo coronavírus no país, após o número de infectados apresentar um grande aumento na Somália, onde há um dos piores sistemas de saúde do mundo.  Até a data da publicação dessa notícia pelo Al Jazeera, em 25 de Abril, o país mais novo do mundo havia registrado a morte de 16 pacientes e 328 casos positivos. No entanto, não é possível saber o verdadeiro impacto da doença na região, visto que o país do Chifre da África possui poucos testes disponíveis para a população.

Fonte: Al Jazeera

Disponível em <https://www.aljazeera.com/news/2020/04/anger-mogadishu-police-kill-civilian-covid-19-curfew-200425143536573.html

Sudão adia importante conferência econômica devido ao coronavírus

Por Matheus Felipe Carvalho Fonseca em 03/05/2020

O governo sudanês adiou a realização de uma conferência econômica marcada para junho, em que seriam debatidas reformas nos subsídios oferecidos à população, algo demando por doadores internacionais. A situação econômica atual  do país é extremamente grave, o governo transitório não está conseguindo resolver problemas relacionados à escassez de produtos importados, como combustíveis e farinha, e a inflação, segundo a estatísticas oficiais, chegou a 80%. Após a queda de Omar al-Bashir, em abril de 2019, os cidadãos do Sudão e potenciais doadores internacionais aumentaram suas expectativas com relação a economia do país. No entanto, até o momento, o governo transitório, composto por militares e civis, está sendo pouco transparente e não tem conseguido atender as demandas domésticas e externas. 

O motivo do adiamento da conferência foi a epidemia do coronavírus. Na quarta-feira o governo disse que registrou 57 casos em um único dia, o maior número desde o primeiro registro no país em março, elevando o total para 375 infectados e 28 mortes. Ao COVID-19, somam-se as sanções aplicadas ao Sudão pelos Estados Unidos, que classifica o país como um dos apoiadores do terrorismo. A classificação dificulta a negociação da dívida internacional sudanesa e restringe o acesso a fundos internacionais, como os $50 bilhões disponibilizados pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Banco Mundial para os países na luta contra o coronavírus. O governo sudanês tem buscado a sua retirada da lista de Washington  e a Alta Comissária das Nações Unidas para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, alertou para o possível desastre que o país enfrentará, caso doadores internacionais não ajam rapidamente.

Fonte: Reuters

Disponível em:  <https://www.reuters.com/article/sudan-economy/sudan-postpones-key-economic-meeting-due-to-coronavirus-idUSL8N2CH5ZE>.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.