Grandes Lagos #89

Imagem: DW


QUE CONSEQUÊNCIAS TERÁ O UGANDA POR RECEBER REFUGIADOS AFEGÃOS?

24/10/2021

Por Júlia Ramos Lemos

O país africano Uganda é o terceiro maior destino de refugiados afegãos no mundo nos dias atuais, cerca de 2 mil refugiados são esperados em seu território. A partir de um acordo com os Estados Unidos, o governo Ugandês concordou em acolher pessoas que fogem do regime do Talibã, uma vez que todos os custos seriam assegurados pelo EUA. O presidente Ugandês, Yoweri Museveni, afirmou não poder recusar o acordo por se tratar de uma crise humanitária.  Entretanto, há contradições à respeito desse acordo, algumas pessoas temem que o país africano se torne alvo de ataques terroristas por estabelecerem relações com os Estados Unidos e outros dizem que o Uganda pode se beneficiar desse acordo bilateral, tendo em vista que os países ocidentais passariam a enxergar o país como um potencial aliado em uma localização estratégica.

Fonte: https://www.dw.com/pt-002/que-consequ%C3%AAncias-ter%C3%A1-o-uganda-por-receber-refugiados-afeg%C3%A3os/a-58986618

UGANDA: GRAVIDEZES PRECOCES AUMENTARAM DURANTE A PANDEMIA

24/10/2021

Por Júlia Ramos Lemos

Com a quarentena as crianças e adolescentes passaram mais tempo em casa, reclusos, desse modo, estes jovens se tornaram mais vulneráveis à abusos sexuais e a gravidez precoce. Segundo dados do governo Ugandês, antes da pandemia cerca de 25% das meninas engravidavam e atualmente esse índice aumentou para 30% em algumas regiões. Com a vacinação dos professores há a esperança de que as aulas retornem ao regime presencial e esse índice volte a cair.

Fonte: https://www.dw.com/pt-002/uganda-gravidezes-precoces-aumentaram-durante-a-pandemia/av-59175125

“UGANDA AFROUXA RESTRIÇÕES ANTI-CORONAVÍRUS COM O RECUO DA PANDEMIA”

24/10/2021

Por Júlia Ramos Lemos

Por volta de março de 2021, o Uganda vivenciou uma segunda onda da pandemia do coronavírus, quando especialistas descobriram a existência da variante Delta em seu território. Nesse contexto, o atual presidente ugandês, Yoweri Moseveni, tomou medidas de isolamento social extremamente restritivas, como fechamento de comércio, empresas, escolas e até interrupção do tráfego de veículos. Entretanto, em setembro de 2021, Moseveni flexibilizou essas medidas, em razão da diminuição contínua dos números de casos de Covid no país. Nesse sentido, algumas atividades, como o retorno às universidades está previsto para o dia 1 de novembro. Além disso, o governo afirmou que pretende vacinar cerca de 4,8 milhões de pessoas até o final de 2021 e que espera-se que um total de 12 milhões de doses de vacinas cheguem ao país, muitas delas doadas por outros países. 

Fonte: https://www.reuters.com/world/africa/uganda-loosens-anti-coronavirus-restrictions-pandemic-ebbs-2021-09-22/

“ARRISCAR-SE A MORTE PARA SALVAR AS FLORESTAS TROPICAIS NO UGANDA”

24/10/2021

Por Júlia Ramos Lemos

No Uganda, o ativista William Amanzuru, faz de seu objetivo de vida preservar a floresta tropical de Zoka, contudo, recebe constantes ameaças de morte provenientes de madeireiros locais. A venda de madeira e de carvão vegetal de Zoka aumentou consideravelmente nos últimos tempos, por isso, Amanzuru tenta combater o corte ilegal das árvores da região. O ativista afirma que os madeireiros são ligados à pessoas muito poderosas e ricas da região e, portanto, estas são influentes na política de segurança do Uganda, desse modo, ao denunciar os casos de abate ilegal às autoridades não obtém respostas e nenhuma medida é tomada. Por isso, sua maior esperança é que a partir de suas postagens em redes sociais, a população se conscientize e tome providências para colaborar com a preservação da floresta de Zoka.

Fonte: https://www.dw.com/pt-002/arriscar-se-a-morte-para-salvar-as-florestas-tropicais-do-uganda/av-59303183

BATALHA DE COMPENSAÇÃO DE MULHERES DE UGANDA ATINGIDA POR CORTES NO REINO UNIDO

25/10/2021

Júlia Ramos Lemos 

Entre 2012 e 2015 os moradores de Kijayo, no oeste do Uganda, foram removidos de suas casas pela polícia a mando da empresa Hoima Sugar Ltd, que alega ter comprado as terras para uso como plantação e nega ter despejado essas famílias. Nesse contexto, um projeto de ajuda do Reino Unido destinado a ajudar mulheres e meninas ofereceu apoio jurídico desde 2017, além disso, colaborou para que essa população obtivesse uma nova fonte de renda a partir do treinamento para práticas comerciais como o crochê. Entretanto, esse financiamento está programado para chegar ao fim em dezembro de 2021 e não será renovado, tendo em vista que o Reino Unido optou por reduzir os gastos. As ONGs locais não conseguiram encontrar um doador substituto e a população, na sua maioria mulheres, vive em condições precárias e sofrem constantemente com assédio dos trabalhadores das plantações de açúcar.

Fonte: https://www.bbc.com/news/topics/cmj34zmwme4t/uganda?piano-modal

SUDÃO DO SUL E UGANDA ABOLEM VISTOS ENTRE OS DOIS

25/10/2021

Por Júlia Ramos Lemos

O Sudão do Sul é um novo integrante da Comunidade da África Oriental (EAC), que conta com países como o Uganda, Quênia, Tanzânia, Ruanda e Burundi. A comunidade prevê a livre circulação de pessoas e mão de obra entre os países membros, nesse sentido, Uganda tomou a medida de abolir os vistos entre seu território e o Sudão do Sul, assim como o Quênia fez em julho desse mesmo ano.

Fonte: https://www.bbc.com/news/topics/cmj34zmwme4t/uganda?piano-modal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.