Clipping Cone Sul #71

Chile declara estado de exceção em regiões marcadas pela luta do povo mapuche

17/10/2021 – Por Matheus Fonseca

O presidente chileno, Sebastián Piñera, declarou na última terça-feira (12/10) estado de exceção constitucional em partes de Araucanía e Biobío, regiões historicamente marcadas pela luta do povo mapuche — um povo nativo da região centro-sul do atual Chile e sudoeste da presente Argentina que reivindicam as suas terras ancestrais, colocando-os de encontro ao governo chinelo. Durante os últimos anos esse conflito escalou, devido, em parte, pelo surgimento de outros acontecimentos, como roubos e outros crimes. Neste contexto, Piñera justificou a sua decisão, alegando que o estado de exceção é necessário “para enfrentar com melhores instrumentos o terrorismo, o narcotráfico e o crime organizado que se enraizou nesses territórios”. 

O estado de exceção permitirá que o presidente chileno designe chefes da Defesa Nacional, provocando uma militarização desse conflito, mas as Forças Armadas não terão prerrogativa para substituir as forças policiais regulares. Piñera ressaltou que só busca conter a violência que atinge as duas regiões, não sendo a sua decisão direcionada contra um povo ou grupo de cidadãos. Em contrapartida, a presidente da atual constituinte do Chile, Elisa Loncon, uma ativista mapuche, considerou preocupante a adoção do estado de exceção. Ademais, a Coordenadoria Arauco Malleco, uma organização político-militar mapuche, declarou que “grupos de combate […] se preparam para enfrentar o estado de emergência decretado pelo Governo”.

Fonte: https://brasil.elpais.com/internacional/2021-10-13/sebastian-pinera-manda-militares-para-a-zona-vermelha-do-conflito-mapuche.html

Chacina na região da fronteira entre Paraguai e Brasil é investigada e PCC é a principal facção suspeita

14/10/2021 – Por Emilly Guidi

Tendo em vista seis assassinatos que ocorreram em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, um alerta foi emitido quanto ao domínio de facções na fronteira com o Brasil, visto que existem suspeitas em relação à participação de paulistas nos crimes. Dentre as vítimas dos assassinatos encontrava-se Haylee Carolina Acevedo Yunis, filha do governador paraguaio Ronald Acevedo, que também foi morto alguns dias depois, assim como o policial Hugo Ronaldo Costa. Diante deste cenário, estima-se que centenas de pessoas são assassinadas na fronteira e especula-se que o Primeiro Comando da Capital (PCC), tido como a maior facção criminosa da América do Sul, esteja por trás dos acontecimentos. 

Neste sentido, vale ressaltar que a facção deixou de ser um problema brasileiro para se tornar um problema no âmbito regional da América do Sul há alguns anos e que a região fronteiriça entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã é considerada uma das mais cobiçadas por conta do tráfico de drogas internacional. Além disso, é importante ter conhecimento de que o local é tido como a principal rota para a entrada de cocaína boliviana e de maconha advinda da região Sudeste brasileira. Desta maneira, os carregamentos são realizados tanto por aviões quanto por caminhões e são enviados para o consumo no Brasil e também para a exportação, abrangendo assim o continente Europeu.

Fonte: https://brasil.elpais.com/brasil/2021-10-14/violencia-na-fronteira-entre-brasil-e-paraguai-avanca-mais-uma-semana-sob-a-sombra-do-pcc.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.