Texto Conjuntural: África Oriental#01

A irrisória comoção e preocupação Internacional ao Conflito Civil Etíope e os contínuos crimes contra a humanidade

30/06/2022

Por: Anna Cecília de Souza Rodrigues

1-Introdução:

A Etiópia é um país localizado na África Oriental, esse Estado possui uma história que remonta ao primeiro milênio antes de Cristo. Sendo um dos poucos países com uma história de não colonização européia, isso se deu principalmente, em virtude: do imperialismo, da expansão territorial e da consolidação político estratégica dos governantes: Jonh Yohannes, Teodoro II e Malique II no país.

Todo esse processo possibilitou uma formação étnico cultural muito diversa no país. De acordo com dados fornecidos pela BBC News, estima-se que o país seja constituído atualmente cerca de 112 milhões de pessoas, sendo desse composto pelos grupos étnicos: oromos, amaras, somalis, tigríanos, dentre outros. Desse modo, o governo enfrenta instabilidades constantes decorrentes desse potencial divisor etinico, social e cultural.

Nesse sentido, desde setembro de 2020 a Etiópia tem sofrido com um conflito civil, sangrento, desumanizado, criminoso e violento na região do norte do território, o Tigré. Contudo, mesmo acontecendo a dois anos o confronto tem ganhado pouca relevância e preocupação no cenário internacional. Portanto, é cabível questionar: Porque um país com tamanha importância, vive um conflito que ganha pouca atenção e preocupação dos atores internacionais? 

2 – Desenvolvimento:

2.1- Contextualização do conflito:

Envolvendo dois atores principais, o antigo partido no poder à Frente de Libertação do Povo Tigray (TPLF) e o governo federal do país, a Guerra Civil Etiope ou Guerra do Tigre, teve início oficializado em 3 de Novembro de 2020, quando “o TPLF foi acusado de atacar uma base do exército federal fora da capital regional de Tigray, Mekelle, e tentar roubar suas armas” (CNN, 2021). Assim o primeiro-ministro com apoio dos soldados da Eritreia organizou uma ofensiva militar contra o grupo. Contudo, o conflito ainda se mantém existente nos dias atuais.

O TPLF é um partido que “nasceu em meados da década de 1970 como uma pequena milícia que lutava contra a ditadura militar marxista da Etiópia” (WALSH,2022) e ganhou força em 1991 quando derrubou o governo marxista daquele período. O partido esteve no poder por muito tempo até que em 2016 começou a perder poder e força, levando sua substituição em 2018 quando o atual primeiro ministro do país foi eleito.

Ao chegar ao poder o primeiro ministro Abiy Ahmed, antes de iniciar os ataques militares, sociais, políticos e econômicos ao reduto do Tigray, adquiriu uma conduta com o objetivo de reduzir a influência do TPLF no poder e fez isso  através: das maciças demissões dos representantes partidários, do adiamento das eleições em 2020, fortalecendo laços com o presidente da Eritreia que possui uma inimizade com TPLF e com o  corte de financiamento federal do Tigray, uma vez que as lideranças do partido se abrigaram nesse reduto.

Entretanto, Abiy Ahmed foi eleito por se configurar e apresentar uma postura mais otimista e esperançosa, ele ganhou em 2019 o Prêmio Nobel da Paz ao promover o fim do conflito entre Etiópia e Eritreia de modo pacifico, afirmando em seu discurso ao receber o prêmio, que “ a guerra era um resumo falho para todos os envolvidos”. Porém suas atitudes agressivas e violentas frente ao conflito atual demonstram uma configuração totalmente controversa.

Todavia, é importante salientar que não são somente as atitudes governamentais que provocaram a atual conjuntura vivenciada, os motivos que levaram à eclosão do conflito remontam várias gerações e são diversos, dentre eles a diversidade social, cultural e política coexistindo sob o mesmo território.

2.2- Os desdobramentos e os crimes humanitários cometidos:

O conflito armado tem gerado diversos danos nos âmbitos sociais, políticos e econômicos, segundo dados da ONU: “milhares foram mortos e mais de dois milhões de etíopes foram forçados a fugir de suas casas…Atualmente, cerca de 9,4 milhões de pessoas necessitam de assistência alimentar e humanitária.” (ONU,2022) Entretanto, os bloqueios aéreos , rodoviário e os apagões imposto pelo governo da Etiópia, tem dificultado que a ajuda chegue até a região nortenha.

De semelhante modo, as mudanças climáticas, o aumento do preço dos combustíveis e alimentos, tem provocado um substancial  atenuamento dos danos sofridos pela população. A violência sexual, as inumeras prisões sem explicação, os saques, ameaças, os assasinatos, tem sido uma realidade contiua e presente no Conflito do Tigre. As organizações não governamentais, “Human Rights Watch” e a “Amnistia Internacional” apontaram em seus relatórios que “estes ataques generalizados e sistemáticos contra a população civil tigriana constituem crimes contra a humanidade e crimes de guerra” (DW,2022) .

Para além disso, a guerra também tem desencadeado um intenso fluxo de refugiados que se deslocaram para os países fronteiriços. Contudo, ainda vivem no país e na região milhões de pessoas que sofrem intensamente com uma situação de penúria social, sem ter seus direitos humanos e de mínima condição de vida assegurados.

A conjuntura só tem piorado, e o acesso de informações, dados e prejuízos têm sido bloqueado pela postura ofensiva e violenta do governo de Ahmed. Logo, é contraditório como uma figura política que conquistou um prêmio que homenageia pessoas que lutam e promovem a paz, o ministro Abiy Ahmed, tem permitido que o seu país se encontre em uma situação de calamidade humanitária e violência inabalável contra os civis, combatentes e a população. 

2.3- O posicionamento de países e das Organizações Internacionais:

Os esforços para conter, mediar e ajudar a Guerra Civil da Etiópia têm sido mínimos. A Nigéria, através do ex-presidente Olusegun Obasanjo, proporcionou um pouco dessa colaboração. A Eritreia tem fornecido soldados e armamentos, assim como, os drones armados, importados da Turquia, Irã e dos Emirados Árabes Unidos, contudo o fornecimento desses aparatos de guerra só corroboram para a permanência do conflito.

Os Estados Unidos, têm imposto restrições, sanções ao país. Todavia, a falta de ação dos países do entorno, assim como a pouca da exposição midiática, com o intuito de gerar uma pressão e uma comoção internacional que proporcione um cessar fogo, uma retração do conflito e a garantia das condições de saúde e vida da população, tem sido muito irrisória.

As Organizações  “Human Rights Watch” , “Amnistia Internacional” e ONU relataram os crimes cometidos e se manifestam em prol da resolução da triste conjuntura. Em 2021, a Comissão Etíope de Direitos Humanos e o Escritório do Alto  Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, se juntaram “para investigar supostos abusos graves e violações de direitos em Tigray, embora a imparcialidade da investigação conjunta tenha sido questionada” (Global Conflict,2022). A ONU também tem mobilizado, através do Programa Mundial de Alimentos (PAM), operações de auxílio e distribuição de alimentos.  

A esperança de resolução pacífica tem sido mantida pela  União Africana, que  tem buscado apoiar o processo de paz e expor suas preocupações frente ao conflito e seus danos imensuráveis.

3-Considerações Finais

Diante o exposto, fica nítido o quanto o país está sofrendo a um longo tempo com uma situação de calamidade que deveria alarmar e preocupa as nações do entorno, porém, as ações desses cunho tem sido mínimas, acarretando no prolonga o prolongamento do conflito e seus danos sociais, políticos e econômicos.

Portanto, é necessário que a comoção e preocupação internacional seja realizada, assim como, as pressões políticas efetivas para que o governo diminua suas ações de cunho ofensivo e que interrompa os crimes contra a humanidade.

Referências

ASSEFA, Tefera. THE IMPERIAL REGIMES AS A ROOT OF CURRENT ETHNIC BASED CONFLICTS IN ETHIOPIA. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Tefera-Moreda/publication/357837705_The_Imperial_Regimes_as_a_Root_of_Current_Ethnic_Based_Conflicts_in_Ethiopia/links/61e257398d338833e36d2bfc/The-Imperial-Regimes-as-a-Root-of-Current-Ethnic-Based-Conflicts-in-Ethiopia.pdf. Acesso em: 20 jun.2022.

ASSIS, Vinícius. NA ETÍOPIA , A GUERRA QUE NINGUÉM VÊ. Disponível em: https://projetocolabora.com.br/ods16/na-etiopia-a-guerra-que-ninguem-ve/?amp=1. Acesso em: 16 Jun.2022.

BBC News: Entenda o conflito na Etiópia, que está à beira da guerra civil. BBC News, 16 nov.2021. 1 vídeo (6 min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JINl7mQPck0. Acesso em 6 jun. 2022.

BBC,News. ETHIOPIA WAR: ETHNIC CLEANSING DOCUMENTED IN WESTERN TIGRAY. Disponível em: https://www.bbc.com/news/world-africa-61009077. Acesso em: 13 Jun.2022.

BLINKEN,Antony. BUILDING ON STEPS TO END THE CONFLICT IN ETHIOPIA. Disponível em: https://www.state.gov/building-on-steps-to-end-the-conflict-in-ethiopia/. Acesso em: 15 jun.2022.

CNN. ETHIOPIA IS AT WAR WITH ITSELF. HERE’S WHAT YOU NEED TO KNOW ABOUT THE CONFLICT. Disponível em: https://edition.cnn.com/2021/11/03/africa/ethiopia-tigray-explainer-2-intl/index.html. Acesso em: 12 Jun.2022

DW. ETIÓPIA: ONG DENUNCIAM CRIMES CONTRA A HUMANIDADE NO NORTE DO PAÍS. Disponível em: https://www.dw.com/pt-002/eti%C3%B3pia-ong-denunciam-crimes-contra-a-humanidade-no-norte-do-pa%C3%ADs/a-61376272. Acesso em: 10 Jun.2022.

GLOBAL CONFLIT. WAR IN ETHIOPIA. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.cfr.org/global-conflict-tracker/conflict/conflict-ethiopia&ved=2ahUKEwib1qPi3q34AhV4spUCHb0ZC3sQFnoECDwQAQ&usg=AOvVaw0MjiBZICVsbyRJi4P4NS0h. Acesso em: 20 de Jun.2022.

HASSEN, Ahmed e Simon Runn. ETHIOPIA: AN ALL-OUT WAR LOOKS IMMINENT. Disponível em: https://rusi.org/explore-our-research/publications/commentary/ethiopia-all-out-war-looks-imminent. Acesso em: 14 Jun.2022.

ONU, News. CHEFE DA ONU ELOGIA ESFORÇOS PARA CESSAR CONFLITO NA ETIÓPIA. Disponível em:https://news.un.org/pt/story/2022/01/1777002. Acesso em: 09 de Jun. 2022.

ONU,News. O VICE-CHEFE DA ONU PEDE FIM DO CONFLITO NA ETIÓPIA E MAIS AJUDA HUMANITÁRIA AO PAÍS. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2022/02/1779372. Acesso em: 10 jun, 2023

POR  que  a Etiópia está em guerra. Eu Afro, 11 nov. 2021. 1 vídeo (13 min) Publicado por: Eu Afro. Disponível em:  https://www.youtube.com/watch?v=cZfZ l2 rHo. Acesso em 15 jun. 2022.

POR que a Etiópia nunca foi colonizada. Eu Afro, 23 jan, 2021. 1 vídeo (09 min). Publicado por Eu Afro. Disponível em :https://www.youtube.com/watch?v=cyR8KzNt5-Q. Acesso em: 15 jun. 2022.

WALSH, Declan e Abdi Dahi. WHY IS ETHIOPIA WAR WITH ITSELF?. Disponível em:https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.nytimes.com/article/ethiopia-tigray-conflict-explained.amp.html&ved=2ahUKEwib1qPi3q34AhV4spUCHb0ZC3sQFnoECAYQAQ&usg=AOvVaw0__RVlOy4_lu2kpdFRGzuQ. Acesso em: 17 jun.2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.