Clipping África Austral #07

Congresso Nacional Africano pede igualdade no tratamento de todas as vidas: “Fazendeiros negros também foram mortos em fazendas, tratem todas as vidas igualmente”

Data: 17 de novembro de 2017
O Congresso Nacional Africano (CNA) fez um apelo pela igualdade racial mais uma vez. Segundo o CNA, nos casos de assassinatos de fazendeiros na África do Sul, não só fazendeiros brancos foram assassinados, mas também fazendeiros negros, diferente do que os protestos contra tais casos mostravam. Além disso, o CNA condenou o hasteamento da antiga bandeira da África do Sul nos protestos, símbolo do racismo institucionalizado vigente décadas atrás.

Fonte: South Africa News

 

Eleições no Zimbábue acontecerão entre Julho e Agosto

Data: 27 de fevereiro de 2018

O novo presidente do Zimbábue será escolhido entre 21 de Julho e 22 de Agosto de 2018, como anunciado pelo corpo eleitoral do país. Essas serão as primeiras eleições sem a figura de Robert Mugabe, forçado a renunciar em Novembro de 2017. Emmerson Mnangagwa, que tomou o poder após a queda de Mugabe enfrentará Nelson Chamisa, presidente interino do MDC-T.

Fonte: IOL

 

África do Sul vota por confiscar a terra dos africanos brancos

Data: 28 de fevereiro de 2018

O parlamento sul africano votou a favor da ementa constitucional à favor do confisco sem indenização das terras dos brancos africanos. Essa ementa teve o suporte pelo o atual Congresso Nacional Africano e do novo presidente Cyril Ramaphosa. A moção liderada por Julius Malema, líder do partido radical de oposição marxista, Lutadores da Liberdade Econômica (The Economic Freedom Fighters), e aprovou esmagadoramente por 241 votos contra 83 votos. “O tempo para a reconciliação acabou. Agora é o tempo para a justiça” afirmou Malema. Uma pesquisa realizada no ano passado (2017) mostrou que cerca de 72% das terras agricultáveis sul africanas estão nas mãos dos brancos.
Grupos de direito civil acusaram o Congresso e o partido Lutadores da Liberdade Econômica por incitarem os ataques que tem ocorrido aos fazendeiros brancos sul africanos desde o ano passado onde 70 pessoas foram assassinadas. Há também líderes que temem por tal decisão, acreditando que tal medida poderia piorar a situação já crítica do país. No início deste mês, Louis Meintjes, presidente do grupo de fazendeiros da União Agrícola do Transvaal, advertiu que o país arriscava a seguir a mesma rota que o Zimbábue, que mergulhou em fome após uma purga sancionada pelo governo de fazendeiros brancos na década de 2000. Outra opositora da moção, Thandeka Mbabama, do partido da Aliança Democrata, disse que havia necessidade de corrigir os erros do passado, mas a expropriação “não pode ser parte da solução”. “Fazer este argumento deixa o Congresso Nacional Africano afastado dos impedimentos reais – corrupção, política ruim e subfinanciamento crônico. A expropriação sem compensação prejudicaria gravemente a economia nacional, prejudicando ainda mais os negros pobres”.

Fonte: NZ Herald


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.