Clipping Chifre da África #49

Mudança climática amplifica conflitos, diz relatório sobre a Somália

Data: 23.10.2019

Alguns pesquisadores do Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo (Sipri) analisaram que os conflitos e os esforços de construção da paz da Missão de Assistência das Nações Unidas na Somália (UNSOM) foram atingidos pelas mudanças climáticas e descobriram que estas “ampliam os desafios existentes e fortalece grupos radicais”. Essa situação pode ser exemplificada pelo conflito entre pastores e agricultores nas regiões rurais, que aumentaram à medida que a mudança das estações e do clima causou o ajuste de rotas dos nômades. Além disso, secas e inundações também deslocaram pessoas em busca de abrigo em campos que servem como campo de recrutamento para grupos radicais como o Al-Shabaab, o que pode minar a governança dessas áreas, pois os acordos de compartilhamento de poder existentes não representam mais a “composição demográfica” no terreno. Para Florian Krampe, pesquisador sênior do programa de mudanças climáticas do Sipri, “a mudança climática aumenta a probabilidade de conflito e de violência”.

Fonte: Isto é

Djibouti deve crescer mais em 2019 

Data: 24.10.2019

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta um crescimento de 6% para Djibouti neste ano. O país cresceu 7.7%, 6.9%, 5.1%, 5.5%, em 2015, 2016, 2017 e 2018, respectivamente. A Organização Internacional aponta que a estratégia de posicionar Djibouti como um centro regional de comércio e logística, apesar do desemprego e da pobreza terem permanecido altos, contribuiu para esse resultado. “Combinada com reformas para melhorar o clima de negócios, essa estratégia de desenvolvimento alimentou uma forte expansão econômica.”, afirmou o FMI, que também parabenizou o país pela melhora e ofereceu assistência no desenvolvimento de capacidade, sugerindo planos para aprimorar a cobrança de impostos e a administração aduaneira, além de reduzir as isenções fiscais.

Fonte: ANBA

Emirados Árabes Unidos lança uma série de projetos de água no Sudão

Data: 26.10.2019

Com iniciativa dos Emirados Árabes Unidos para melhorar a vida de sudanês, criou-se o projeto para levar água para a população de áreas menos desenvolvidas, para assim prevenir que sofram de uma escassez de serviços básicos; sendo financiado por instituições humanitárias e de caridade do estado. Com isso, inaugurou-se um grande número de estações de água artesiana, reservatórios e usinas movidas a energia solar, além de redes de conexão, que totalizaram mais de 30 unidades de água integradas; beneficiando assim, mais de 60.000 sudaneses. E nesta semana, foi inaugurado na cidade de Bara, a primeira estação de água movida a energia solar; e tem como objetivo inaugurar mais uma estação de água no mesmo local para atender além das pessoas locais, também os animais.


Fonte: Akhbarel

O Índice de Impunidade Global de 2019 do CPJ destaca que Somália é o pior país
para se processar crimes contra jornalistas
Data: 29.10.2019
Segundo o Índice de Impunidade Global de 2019 do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), a Somália foi eleita pela quinta vez consecutiva como o país que menos pune assassinos de jornalistas. A situação de guerra civil e instabilidade no país, são responsáveis pela violência e pela impunidade a estes crimes. Os 13 países que compõem a lista, tem como características tanto países considerados estáveis, nos quais políticos e pessoas poderosas utilizam da força para calar denúncias, quanto Estados inseridos em situação de conflito. O México é considerado o país mais mortal para jornalistas, pois os cartéis locais travavam uma batalha contra a mídia. O Brasil ocupa a 9º posição, tendo 15 assassinatos não resolvidos, enquanto a Somália que ocupa a primeira posição possui 25 assassinatos não solucionados.
Fonte: CPJ
Problemas na formação de governo no Sudão do Sul
Data: 30.10.2019
O principal líder da oposição sul-sudanesa, Riek Machar, acredita que não será possível concluir a formação de um governo unificado no país até 12 de novembro, data limite acordada entre as partes em setembro. A unificação foi prevista pelo acordo de paz assinado em 2018, mas, segundo os opositores rebeldes, o  governo não tem feito os avanços necessários para que ela seja possível.  Desta forma, Machar pediu para que o prazo fosse estendido em seis meses. Por outro lado, o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir Mayardit, reforçou que as partes concordaram em formar um único governo até meados de novembro e a que a comunidade internacional espera que isso ocorra.
Fonte: Al Jazeera
Enchentes pela África fazem Somália de vítima
Data: 30.10.2019

Os registros do mês de Outubro trazem situações catastróficas pela África, envolvendo enchentes em diferentes regiões do continente. A Somália se encontra no meio dos países que estão sofrendo com isso e, de acordo com dados, 182.000 pessoas já tiveram que se deslocar devido às enchentes que estão ocorrendo pelo país. Além disso, duas crianças parecem ter sido vítimas de afogamento e um barco com cerca de 20 pessoas possivelmente virou no rio da cidade de Belet Weyne. Tais circunstâncias estão afetando também a Nigéria, Gana e a República Centro-Africana, sendo até mesmo motivo para declaração de emergência nesta última, e podem ser uma exemplificação direta dos efeitos da crise climática global.

Fonte: Africa News

A insatisfação de etíopes com o ganhador do Prêmio Nobel da Paz

Data: 30.10.2019

No início do mês, foi divulgado que o Prêmio Nobel da Paz seria entregue a Abiy Amhed, primeiro-ministro da Etiópia, por ter sido capaz de colocar fim a conflitos entre seu país e um de seus vizinhos, a Eritreia, no ano passado. De fato, o acordo de paz traria benefícios para ambas nações e prometia a transferência de algumas vilas e cidades do território etíope para o eritreu, além da desmilitarização da fronteira. No entanto, a Eritreia já fechou a fronteira em alguns pontos e a população etíope que se utiliza dessa região para transitar tem tido problemas. Por estarem sendo detidas e presas, as pessoas não se sentem seguras de utilizar a fronteira, e, para agravar a situação, a demarcação dos limites territoriais dos dois países não está clara, provavelmente, segundo especialistas, porque o líder eritreu prefere que tais decisões se delonguem devido ao efeito doméstico que vai gerar. Dessa forma, muitos consideram que Abiy não se enquadraria como um merecedor do Nobel da Paz, uma vez que uma parcela de seu povo ainda sofre com o que não ficou bem definido entre os dois Estados, e o primeiro-ministro parece ter encerrado seus esforços de garantir a resolução plena das questões.

Fonte: Africa News

OIM interrompe a triagem de Ebola depois que trabalhadores humanitários são mortos no Sudão do Sul

Data: 30.10.2019

A Agência de migração das Nações Unidas (OIM) desenvolve trabalho de contenção do Ebola no Sudão do Sul, Uganda e Congo uma vez que a doença já dizimou milhares de pessoas. Apesar dos esforços da agência, a situação no Sudão do Sul não favorece a execução das atividades humanitárias pois, recentemente, voluntários da OIM foram atacados durante confrontos resultando na morte de uma voluntária.

Fonte: Al Jazeera

Na Luta do Quênia contra o Al-Shabab, moradores declaram que militares estão
combatendo o terror com terror

Data:04.11.2019


Após oito anos que o Quênia, apoiado pelos Estados Unidos busca combater o grupo Al-Shabab, moradores de vila próxima à fronteira com a Somália declaram que a Força de Defesa do Quênia (FDQ) é violenta, causando em alguns momentos mais medo do que o próprio grupo terrorista. Grupos de Direitos Humanos e a mídia local juntamente a ONU realizaram a documentação de dezenas de denúncias de abuso por parte dos militares, incluindo mais de 80 casos de supostos desaparecimentos desde 1980. A partir disso, o FDQ emitiu um comunicado negando que isso ocorreu e que se fossem legítimas deveriam ser encaminhadas à Comissão Nacional de Direitos Humanos do Quênia. Apesar da declaração, de acordo com funcionários do órgão, o FDQ não apresentou denúncias nem cooperou naquelas realizadas por membros da comunidade. Isto posto, observa-se um ciclo, onde “A Al-Shabab ataca o KDF, o KDF ataca moradores inocentes e os moradores se juntam ao al-Shabab para se vingar”, diz Omar Mohamed Ibrahim, diretor de uma organização de resolução de conflitos.


Fonte: Wardheer News

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.