Clipping Grandes Lagos #63

Foto: New Times
Inteligência artificial para revolucionar a saúde em países de baixa renda

16/09/2020

Um novo relatório apoiado pela Novartis Foundation e Microsoft descobriu que os países de baixa renda estão alavancando fortemente a inteligência artificial (IA) para intensificar seus sistemas de saúde durante e após a pandemia. De acordo com o relatório, intitulado “Reimaginando a saúde global por meio da inteligência artificial: o roteiro para a maturidade da IA”, Ruanda é agora indiscutivelmente o sistema de saúde mais conectado digitalmente na África. Mais de 2 milhões de pessoas ou um terço da população adulta já estão usando Babyl , um serviço de consultoria de saúde digital e seu chatbot habilitado para IA.

Assim, espera-se que a adoção de tecnologias de saúde provavelmente prossiga a mesma tendência, com a transformação digital acelerada pela pandemia COVID-19, afirma o relatório. O contato reduzido entre pacientes e provedores de saúde devido ao distanciamento social levou a um grande crescimento em tecnologias como os diagnósticos habilitados para IA. Ademais, argumenta-se também que o uso de ferramentas de IA de apoio que podem ajudar enfermeiras e trabalhadores comunitários de saúde a diagnosticar e tratar doenças tradicionalmente vistas por médicos preencheria a lacuna de profissionais de saúde, que deve chegar a 18 milhões em 2030.

O relatório ainda reitera que os governos devem identificar e testar formas inovadoras de financiar IA em soluções de saúde. Para garantir acessibilidade financeira a longo prazo para todos, o reembolso nacional de serviços de saúde digitais e habilitados para IA é fundamental. A governança de dados segura e com preservação da privacidade precisa fazer parte da garantia de uma infraestrutura sustentável.

Fonte: New Times

Por que Ruanda precisa de uma lei sobre o uso de recursos genéticos

16/09/2020

De forma introdutória, ‘material genético’ é qualquer material vegetal, animal, microbiano, bacteriano ou de outra origem usado para pesquisa ou desenvolvimento de produto que finalmente forneça produtos de valor comercial. Aloysie Manishimwe, um especialista em conservação e pesquisador, disse que alguns recursos genéticos podem ter sido retirados de Ruanda por um longo tempo sem beneficiar a comunidade e, portanto, regulamentações são necessárias. Por isso, em 2017, Ruanda iniciou uma jornada para estabelecer estruturas institucionais legais para implementar o Protocolo de Nagoya que entrou em vigor em 2014 para garantir a repartição justa e equitativa dos benefícios do uso de recursos genéticos.

Segundo Emmanuel Munyaneza, cientista e pesquisador em Ciências Naturais, eles podem ser benefícios não monetários e monetários, destacados em “Diretrizes e ferramentas para acesso e compartilhamento de benefícios de conhecimentos tradicionais associados a recursos genéticos”, concluído em abril de 2019. Os benefícios não monetários incluem colaboração em pesquisa científica, educação e treinamento, transferência de tecnologia, pesquisa em saúde e necessidades de segurança alimentar, entre outros. E os benefícios monetários incluem taxas de acesso por amostra de recurso genético coletado, pagamentos adiantados, pagamento de royalties e taxas de licença em caso de comercialização, entre outros.

Fonte: New Times

Esforços para eliminar as disparidades financeiras existentes 

15/09/2020 

O governo da Tanzânia tem implementado várias estratégias destinadas a reduzir as disparidades econômicas e financeiras por meio da inclusão financeira para os grupos que são tradicionalmente excluídos do setor financeiro formal, o que levou ao estabelecimento da iniciativa Quadro Nacional de Inclusão Financeira. A primeira estrutura se concentrou na construção de infraestruturas para facilitar o acesso a serviços financeiros prontos para serem usados pelos tanzanianos. As principais conquistas no âmbito do primeiro quadro foram o aumento da porcentagem de adultos que acessam serviços financeiros formais para 65% em 2017 de 50% 2013, bem como a redução de adultos dependentes exclusivamente de serviços financeiros informais de 16,9% para 7%  no mesmo período.

Contudo, alguns analistas argumentam que a inacessibilidade dos serviços financeiros formais, especialmente empréstimos de microfinanciamento, tem um efeito de amortecimento sobre o crescimento econômico, o que pode resultar em instabilidade financeira no nível doméstico e nacional. Isto criou a extrema necessidade de educação financeira, a fim de trazer as populações economicamente vulneráveis para o mainstream financeiro. Conhecimento e habilidade em questões financeiras criarão disciplina financeira entre as pessoas. Desse modo, a NMB Bank criou uma plataforma com disciplinas de educação financeira para promover a aproximação entre o banco e a comunidade no enfrentamento desses novos desafios.

Fonte: Daily News

Em algumas partes da Tanzânia falar sobre sexo com adolescentes é tabu

16/09/2020 

Ao apresentar o esboço do Plano Estratégico 2020-25 sobre a eliminação da gravidez precoce e escolar na região de Rukwa no início deste ano, o Diretor Médico Regional de Rukwa, Dr. Boniface kasululu disse que mais de 700 meninas abandonaram a escola na região entre 2017 e 2019 devido à gravidez. Considera-se que a gravidez precoce é a causa de um dos maiores índices para a mortalidade infantil na região. Em um programa implementado pelo YES Tanzânia em parceria com o Plan Internacional Tanzania na região de Rukwa, foi revelado que as barreiras culturais desempenham um grande papel no número de gravidez precoces, o que também envolve a falha dos pais em se comunicarem com seus filhos sobre as questões de Saúde Sexual Reprodutiva (SSR).

De acordo com Emanuel Mbalwa “é necessário desenvolver intervenções apropriadas para capacitar os pais a se comunicarem com seus filhos adolescentes sobre toda a gama de questões de saúde sexual e reprodutiva”. Mbalwa diz que, além do desafio de não terem informações sobre SSR de seus pais, os adolescentes também podem não ter conhecimento ou acesso aos métodos convencionais de prevenção da gravidez, pois podem ter vergonha ou medo de buscar essas informações por vontade própria. Logo, o projeto YES Tanzânia em parceria com o Plan Internacional Tanzania pretende destacar a educação em saúde sexual como um dos componentes mais importantes da promoção da saúde que envolve a motivação para adotar comportamentos promotores da saúde, de modo a ajudar as pessoas a tomar decisões práticas.

Fonte: Daily News


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.