Clipping Grandes Lagos #64

Foto: File via The East African

Estados Unidos dizem ao Quênia para apoiar publicamente Israel ou esquecer acordo de livre-comércio

21/09/2020

Uma das condições impostas pelos Estados Unidos para firmar o acordo de livre-comércio com o Quênia é que o país africano apoie os interesses políticos e econômicos de Israel, eliminando barreiras não tarifárias sobre bens e serviços israelenses, assim como boicotes patrocinados por Estados ou pela Liga Árabe. Em outras palavras, os EUA visam desestimular ações que prejudiquem os negócios com Israel. Entretanto, especialistas em política externa alertaram para a inclusão de Israel na agenda de negociações de Nairóbi, o que poderia significar o envolvimento do Quênia no conflito Israel-Palestina. Embora o Quênia reconheça Israel, o país, além de raramente emitir declarações oficiais endossando as partes envolvidas no conflito, apoia o estabelecimento de dois Estados para os palestinos e israelenses.    

Fonte: The East African

Organizações da sociedade civil pressionam por uma abordagem de gênero inclusiva no plano de recuperação econômica em Ruanda

21/09/2020

Em abril de 2020, o governo de Ruanda tornou público o Plano de Recuperação Econômica, cujo foco está na proteção social e no fornecimento de uma sólida base que permita a população mais vulnerável reconstruir sua vida. As Organizações da Sociedade Civil (CSO) e a Rede de Organizações Não Governamentais Internacionais (NINGO) de Ruanda, analisaram e discutiram um plano de recuperação nacional mais inclusivo para mulheres e meninas, principais vítimas da pandemia do novo coronavírus. As medidas de isolamento social e lockdown exacerbam a feminização da pobreza, uma vez que os negócios comandados por mulheres perderam todo o seu capital. Segundo as agências Kvinna till Kvinna e Oxfam, atualmente, 70% das mães adolescentes no país carecem de qualquer apoio para si mesmas e seus filhos, colocando-as em um maior frente a violência de gênero. As organizações sugerem tornar as oportunidades de financiamento mais inclusivas, além de ampliar serviços que reduzam o trabalho não remunerado. Acrescentam, ainda, que as estratégias de prevenção da violência com base no gênero devem ser integradas em todas as planos de resposta nacional, não apenas na recuperação econômica.

Fonte: The New Times

Uganda e Tanzânia vão construir o primeiro grande oleoduto da África Oriental.

14/09/2020

Yoweri Museveni e John Magufuli, chefes de Estado da Uganda e Tanzânia, assinaram um acordo no dia 13 de setembro para construir um oleoduto de petróleo, cuja extensão será de 1.445 quilômetros e custará $3,5 bilhões. O oleoduto será o primeiro de seu tipo na África Oriental, conectando a região de Hoima, rica em petróleo, com o oceano Índico, através do porto de Tanga, na Tanzânia. O projeto deve criar milhares de empregos na Tanzânia, uma vez que cerca de 80% do oleoduto passará pelo país e beneficiará, também, a Uganda, aproximando-a de uma rota para o mar, após um longo atraso que a tornou incapaz de utilizar suas reservas de petróleo desde que foram descobertas, uma década e meia atrás. Após a assinatura do acordo, grupos ativistas pelos direitos humanos alertaram sobre o risco que mais de 12.000 famílias correm em perder suas terras e meios de subsistência.

Fonte:The African Report


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.