Clipping África Austral #67

Conheça a farmacêutica da África do Sul cuja vacina pode ser decisiva para o fim da pandemia

Data: 15/03/2021

A farmacêutica Aspen Pharmacare Holdings, com sede na África do Sul, em parceria com a “Johnson & Johnson”, fornecerá vacinas nos próximos meses para aquela região. A empresa espera produzir 300 milhões de doses por ano em Port Elizabeth e caso se mostre necessário, pode sobrar esta produção. Essa notícia deixa países africanos um pouco mais tranquilos, pois existia a preocupação de que faltassem certos produtos devido à demanda de nações mais ricas.

Fonte: Exame

Extremistas islâmicos estão decapitando crianças em Moçambique

Data: 16/03/2021

De acordo com a organização não governamental (ONG) Save the Children, militantes do grupo terrorista Al-Shabab, ligados ao Estados Islâmico (EI), estão decapitando crianças de 11 anos na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique. Em seu relatório, a ONG disse ter conversado com famílias deslocadas que descreveram o ocorrido e mães relataram terem visto seus filhos sendo decapitados. Os insurgentes são conhecidos localmente como Al-Shabab — embora não tenham ligações com o grupo jihadi somali de mesmo nome — e juraram lealdade ao EI. Essa não é a primeira vez que há relatos de decapitações na região. Segundo o diretor da Organização, suspeita-se que se trata da sensação de má distribuição dos recursos naturais existentes na província, mas afirma que “é difícil entender as motivações exatas, […] o que vemos é que os insurgentes estão tentando expulsar as pessoas. Eles convocam jovens para se juntarem a eles como recrutas e, se recusarem, são mortos e às vezes decapitados. Eles perseguem as pessoas. É muito difícil ver qual onde isso vai terminar.” Em novembro do ano passado, a mídia estatal noticiou que mais de 50 pessoas foram decapitadas em Cabo Delgado e, em abril, dezenas de outras foram decapitadas ou mortas em um ataque a um vilarejo. Ativistas relataram que as forças de segurança de Moçambique também praticaram abusos violando os direitos humanos, incluindo prisões arbitrárias, tortura e assassinatos durante operações contra os jihadistas. O governo do país africano apelou à ajuda internacional para conter os ataques, o que resultou em um posicionamento do governo americano, levando a embaixada dos EUA em Maputo a manifestar dizendo que a Força de Operações Especiais do país irá treinar fuzileiros navais moçambicanos para atuar na região. 

Fonte: BBC

Centenas de angolas são repatriados na Namíbia nos últimos dias

Data: 16/03/2021

Centenas de angolanos, principalmente do sul do país, estão migrando para a Namíbia em busca de alimentos e trabalho. Devido à seca que acomete a região nos últimos anos e ao agravamento das condições econômicas e sociais em função da pandemia do COVID-19, há escassez de alimentos e desemprego em Angola. Segundo relatos recolhidos pelo jornal The Namibian, muitos angolanos chegam a oferecer sua força de trabalho em troca de comida, mas a maior está em busca de trabalho para ajudar na sobrevivência de suas famílias em Angola. O governador da região de Omusati, na Namíbia, Erginus Endjala, está à espera de um encontro com o governo de Luanda, capital de Angola, para informar sobre a dimensão do problema e encontrar soluções. 

Fonte: Novo Jornal

RESPOSTA À COVID-19: Mais médicos cubanos chegam a Moçambique

 Data: 17 março 2021

Cerca de 40 médicos e enfermeiros cubanos especializados em cuidados intensivos, chegaram em Moçambique nesta semana para reforçar o atendimento aos pacientes vítimas da COVID-19 que se encontram internados nos 15 centros de tratamento especializados espalhados pelo país. O Secretário Permanente do Ministério da Saúde, Zacarias Zindoga, afirmou que “a cooperação entre os dois países prevê a prestação de cuidados de saúde, desenvolvimento e investigação de doenças, assessoria na implementação dos programas prioritários e promoção da educação sanitária.”

Fonte: Jornal Notícias Online Mz

O famoso teatro Fugard na Cidade do Cabo fecha permanentemente

Data: 17/03

O popular teatro Fugard na Cidade do Cabo anunciou que será permanentemente fechado após uma pausa em suas atividades durante o último ano por causa da pandemia de Covid-19. Nesta sexta-feira (16), o fundador do teatro, Eric Abraham, disse que o teatro não vê um futuro próximo no qual seja seguro ou financeiramente viável reabrir o teatro.

Fonte: BBC

Malawi torna-se o último Estado a aderir à Convenção de Nova York (1958)

Data: 17/03/2021

O Malawi se tornou o 167º país a aderir à Convenção sobre o Reconhecimento e a Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras (1958), conhecida como Convenção de Nova York. Segundo o especialista em arbitragem internacional, Rob Wilkins da Pinsent Masons, a adesão do Malawi à convenção demonstra seu interesse e compromisso em atrair investimento estrangeiro. No início deste ano, o país também aderiu ao tratado da Área de Livre Comércio Continental Africano (AfCFTA), acordo que visa criar a maior área de livre comércio do mundo. Para Wilkins, com essas decisões, investidores estrangeiros ficam mais confortáveis ​​com o fato de que o Malawi agora reconhece e fará cumprir as sentenças de arbitragem internacional proferidas em seus projetos.

Fonte: Pinsent Masons

Namíbia anuncia abolição de impostos sobre absorventes, avanço mesmo que pequeno para os direitos humanos

Data: 17/03/2021

O Ministro das Finanças Shiimi anunciou que os impostos sobre consumo aplicados sobre absorventes serão abolidos. O anúncio foi visto como uma resposta à moção que o vice-ministro da informação realizou este ano solicitando a abolição na Assembleia Nacional, o que ainda causou surpresa porque uma tentativa de abolição desses impostos já havia sido feita no Parlamento em 2016 e tido sua discussão negada. Shiimi clamou para a redução dos preços de venda dos absorventes e ligou a medida a um alívio econômico às mulheres, especialmente na infância e adolescência, o que pode ser visto como um avanço, mesmo que pequeno, nos direitos econômicos na Namíbia.

Fonte: The Namibian

Botsuana lança campanha voltada à conscientização sobre vacinação para COVID-19 

Data: 17/03/2021

O Governo da Botsuana lançou uma campanha de comunicação com vistas a combater desinformação, os medos e frustrações e sanar dúvidas relativas à vacinação para o novo Coronavírus. O Ministro da Saúde declarou que Botsuana está prestes a dar início à vacinação e ligou a campanha à necessidade de estabelecer o compromisso, a competência e a mobilização do governo, da população e dos fornecedores de gerar respostas e resultados positivos. O contexto é a apreensão gerada pelos bloqueios temporários de outros países ao uso da vacina da AstraZeneca pela possível contração de coágulos e a aceitação do uso da vacina pelo governo botsuano mesmo diante disso. O slogan da campanha é “ArmReady for Lemao” (indicando a necessária preparação para o braço receber a vacina), tendo o objetivo de reduzir medos relacionados à vacina e promover sua aceitação com a promoção da transparência.

Fonte: Xinhua

Namíbia recebe primeiro lote de vacinas contra a COVID-19 da China

Data: 18/03/2021

O primeiro lote de vacinas contra a COVID-19 da farmacêutica chinesa Sinovac chegou à Namíbia para compor a campanha de imunização do país. Destacando a amizade de longa data entre a Namíbia e a China, Netumbo Nandi-Ndaitwah, vice-primeiro-ministro e ministro das Relações Internacionais e Cooperação da Namíbia, disse que espera que as vacinas da China ajudem o país a gerenciar melhor a pandemia e revitalizar a economia. Nandi-Ndaitwah também agradeceu ao Zimbábue por sua ajuda na transferência das vacinas para o país. As vacinas integrarão o Programa Ampliado de Imunização e a primeira fase da vacinação começará de 19 de março a 16 de abril, de acordo com o Ministro da Saúde, Kalumbi Shangula.

Fonte: China Global Television Network (CGTN)

Presidente da Namíbia envia sete medidas com Plano de Prosperidade Harambee II

Data: 18/03/2021

Hage Geingob, Presidente da Namíbia, enviou sete declarações ao Parlamento com vistas à proposição de medidas nacionais que devem ser vinculadas às principais atividades da segunda fase do plano econômico originalmente denominado Harambee Prosperity Plan (HPP II). As medidas envolvem superar obstáculos na economia namibiana, como com a Declaração de Promoção de Investimentos da Namíbia, e promover reformas estruturais, como com a Declaração de Reforma Agrária. O plano envolve criação de um fundo soberano e compromisso de o Governo investir para a recuperação econômica em cerca de 400 milhões de dólares namibianos, equivalentes a aproximadamente 27 milhões de dólares estadunidenses na cotação de 19 de março. O resultado previsto é a criação de mais de 42 mil empregos em meio a garantias discursivamente declaradas como bancos de alimentos e segurança alimentar.

Fonte: The Namibian

Banco Mundial dá 700 milhões de dólares a Angola

Data: 18/03

O Banco Mundial aprovou nessa quinta-feira (18) uma Operação de Desenvolvimento de Políticas no valor de 700 milhões de dólares para apoiar o governo de Angola. De acordo com o Banco Mundial, o objetivo desse apoio é o financiamento à recuperação do país no cenário da pandemia de Covid-19 e às suas consequências econômicas.

Fonte: DW

Banco Africano de Desenvolvimento aprova empréstimo de 530 milhões de dólares a Angola

Data: 18/03/2021

Na última semana, o Banco Africano de Desenvolvimento (AfDB) aprovou o empréstimo de 530 milhões de dólares a Angola com objetivo de implementar a primeira fase do Programa de Eficiência e Expansão do Setor Energético. A empresa estatal de distribuição de eletricidade usará o financiamento do AfDB para conectar 400.000 residências à rede e instalar até 860.000 medidores pré-pagos na parte sul do país. A implementação desse programa prevê a interligação energética entre o norte e sul do país, além de gerar a economia das hidrelétricas e, em simultâneo, evitar o aumento do consumo de diesel.  

Fonte: Afrik 21

Lesoto demite enfermeiros em greve

Data: 18/03

O principal hospital de Lesoto, o Queen Mamohato Memorial Hospital (QMMH), situado na capital Maseru, demitiu 345 enfermeiros e assistentes de enfermagem que estavam em greve durante o último mês, devido a diferenças salariais entre funcionários do QMMH e os demais enfermeiros de outros hospitais. As demissões vieram após os enfermeiros desafiarem uma decisão judicial do dia 24 de fevereiro, que determinava a volta dos enfermeiros ao trabalho. De acordo com profissionais médicos de Lesoto, as demissões terão efeitos catastróficos no sistema de saúde, tendo em vista o baixo número de funcionários em um momento de sobrecarga de pacientes.

Fonte: The Herald

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.