Clipping #103 – Países Andinos

Marcha em massa chega à praça principal de Tarija, em meio a um dia de tensão.

Por: Larissa dos Santos Zanin em 9 de novembro de 2021

Uma marcha liderada por administradores e estudantes da Universidade Autónoma Juan Misael Saracho (UAJMS), do Comitê Cívico, da Federação dos Conselhos de Bairro e de outras instituições, chegou à praça Luís de Fuentes e Vargas, na cidade de Tarija, na Bolívia. Os apoiadores da marcha fizeram bloqueios nas cidades de La Paz, Cochabamba e Santa Cruz, que é a única que permanece bloqueada até o dia de hoje (9 de novembro de 2021). 

Os protestos se desenrolam como repúdio à lei 1386 de Estratégia Nacional de Combate à legitimização do Lucro Ilícito e Financiamento do Terrorismo, que permite o governo a investigar os patrimônios de qualquer cidadão boliviano sem ter uma ordem judicial, além de obrigar advogados e  jornalistas a revelar informações, ainda sem precisar apresentar uma ordem judicial. Os manifestantes declaram que essa lei poderia ser usada para perseguição política e que está em contradição com a  “presunção de inocência”, premissa base do direito que garante a inocência das pessoas quando não há provas. 

Fonte: < https://elpais.bo/tarija/20211109_masiva-marcha-llega-a-la-plaza-principal-de-tarija-en-medio-de-una-jornada-de-tension.html

Os índios Arhuacos pedem a Duque para proteger seus territórios

Por Natália Canevari, em 10 de novembro de 2021

Uma centena de indígenas Arhuaco da Serra Nevada de Santa Marta realizou um comício na terça-feira, dia 9 de novembro, na Plaza Bolívar, localizada no centro de Bogotá, e pediu ao governo que protegesse seus territórios das atividades extrativistas. Eles levantaram bandeiras e disseram que não deixarão o local até que o governo de Iván Duque resolva suas necessidades. Além disso, o conselheiro de Bogotá, Ati Quigua, disse à EFE que o presidente reconheceu um governador da área que não havia sido escolhido pelo povo Arhuaco, o que, segundo ela, significa que ele está tentando dar uma mão livre a projetos extrativistas na Serra Nevada de Santa Marta (norte).  

Esta região se constitui como a montanha costeira mais alta do mundo. Ela cobre uma área de 17.000 quilômetros e inclui territórios nos departamentos de Magdalena, La Guajira e Cesar. Diversos grupos étnicos possuem uma ligação tradicional e cultural com o Parque Tayrona, que é para eles um lugar sagrado, de acordo com sua cosmogonia. Dessa forma, “a síntese de toda a luta histórica de todos os povos indígenas é o respeito pela livre autonomia e livre autodeterminação dos povos”, disse o vereador do local, que acredita que “os negócios não podem prevalecer sobre a vida” e insistiu que o que “acontecer à terra acontecerá com todos nós”. Em contrapartida, Duque apresentou na cúpula climática COP26 em Glasgow (Escócia) a iniciativa “Road to Zero”, a estratégia de longo prazo que orientará a gestão para enfrentar a crise climática e com a qual ele procura alcançar neutralidade de carbono até 2050 e reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 51% até 2030, porém não mencionou os povos indígenas. 

Fonte: El Colombiano

Disponível em: <https://www.elcolombiano.com/colombia/indigenas-arhuacos-piden-proteccion-de-sus-territorios-ME15999115>. 

Governo reafirma relação fraterna com os Estados Unidos, afirma o presidente Castillo

Por Juliana Lima em 11 de novembro de 2021

O presidente peruano, Pedro Castillo, se encontrou com a Secretária de Estado Adjunta dos Estados Unidos, Wendy Sherman, e disse a ela que há uma relação fraterna bilateral entre o Peru e os Estados Unidos. Segundo Castillo, o país se compromete com os possíveis investimentos sustentáveis no país, pois há segurança jurídica. Além disso, ele afirma que a relação bilateral pode promover “um crescimento equitativo, inclusivo e sustentável para todos os peruanos”. Sherman destacou que as discussões entre os dois representantes tiveram enfoque no “compromisso comum com o crescimento econômico inclusivo e sustentável, os direitos humanos e a democracia”. O encontro entre o presidente e a secretária ocorreu virtualmente, e foram levantadas pautas sobre a participação do Peru na Cúpula pela Democracia, promovida pelos Estados Unidos, além da adesão ao “construa um mundo melhor (BBBW)”, com o objetivo de transformar a infraestrutura mundial.

Fonte: El Peruano

Disponível em: <https://elperuano.pe/noticia/133187-gobierno-reafirma-fraterna-relacion-con-ee-uu-senala-presidente-castillo>. 

Manter um subsídio de combustível custará quase US $ 560 milhões

Por Roberta Ferreira em 12 de novembro de 2021

No dia 22 de outubro de 2021, o presidente do Equador, Guilherme Lasso, anunciou o congelamento dos preços dos combustíveis para fechar o acordo com as transportadoras, fixando preços para o galão de gasolina extra e para o galão de diesel. Entretanto, durante a nova jornada de diálogo entre governo e Confederação das Nacionalidades Indígenas (Conaie), este último voltou a propor a redução do preço do combustível, o que significa um aumento do subsídio e mais auxílios estatais direcionados ou concedidos às transportadoras. Em resposta, Lasso disse que “compreende o problema, mas as circunstâncias do país não o permitem”.

Essa resposta do presidente se deve ao fato de que o governo equatoriano tende a gastar $559,78 em subsídios de combustível em 2022, o que equivale a “quatro meses de pagamentos de contribuições do Estado ao Instituto Equatoriano de Previdência Social (IESS) ou 45% de todos os desembolsos anuais em títulos e assistência social direta”. Porém, esses altos gastos do governo representam um problema, pois em um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Equador se comprometeu a reduzir os gastos públicos em 4,2% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2025. Nesse sentido, para conseguir alcançar essa meta, é esperado que, com a aprovação da reforma tributária, diminua a pressão de gastos com mais arrecadação de impostos. Porém somente isso não será necessário, uma vez que o déficit fiscal será de mais de $3 bilhões, segundo o executivo com seu projeto de lei. Dessa forma, o governo possui duas alternativas para pagar as suas contas: com mais corte de gastos ou fazendo mais dívidas.

Fonte: La Hora

Disponível em:  

<https://www.lahora.com.ec/pais/mantener-subsidio-costara-560-millones/>

Presidente da Bolívia anula lei que parou o país por seis dias 

por Gustavo Alves, 14 de novembro de 2021

O presidente da Bolívia, Luis Arce, anunciou no sábado (13/11), a revogação da lei 1386, houve uma paralisação nacional contra a lei, marchas, protestos e bloqueios em diversas regiões do país, isso influenciou a revogação da lei. Os protestos, que duraram seis dias, estava levando prejuízos para economia boliviana e sofrimento a população com a violência causada pelo confronto entre policiais e manifestantes nas regiões de Potosí, Cochabamba e Santa Cruz. O governo alega que as mobilizações têm a intenção de desestabilizar o governo de Arce, em busca de golpe de estado por parte da oposição direitista do atual governo do Movimento socialista, o ex-presidente boliviano Evo Morales apoia o atual presidente e também reforçou a ideia do golpe dos partidos de direita. O governo boliviano realizou um diálogo com alguns setores no sábado, a fim de desmantelar as mobilizações iniciadas na última segunda-feira por comerciantes informais, transportadores, comitês cívicos e plataformas de cidadania contra a lei da Estratégia Nacional de Combate à Legitimação dos Lucros Ilícitos e ao Financiamento do Terrorismo.

Fonte: DW

Disponível em: <https://www.dw.com/es/presidente-de-bolivia-anula-ley-que-generó-un-paro-nacional-por-seis-días/a-59812567

Walter Ayala renuncia “irrevogavelmente” ao cargo de Ministro da Defesa do Peru

Por Ana Laura Dias em 14 de novembro de 2021

               O ex-chefe do Ministério da Defesa do Peru, Walter Ayala, anunciou sua demissão “irrevogável” do cargo por sua conta no Twitter. “Tenho demonstrado ação legal fidedigna e correta no processo de ascensão e substituição militar. Assumo total responsabilidade política por isso, portanto, como democrata, renuncio irrevogavelmente ao Ministério da Defesa. Obrigado, presidente Pedro Castillo. Chega de politicagem. Deixem governar!”, ele escreveu em sua rede social. Ayala abdicou de seu cargo dias depois de o ter disponibilizado após as polêmicas promoções nas Forças Armadas de que teria participado. Vale ressaltar que sua decisão ocorreu em meio às desavenças que sua permanência no Ministério gerava no Executivo: Mirtha Vásquez, presidente do Conselho de Ministros até mesmo cogitou renunciar por não ter concordado com a permanência do ex-chefe no cargo. Depois do veredito final, o Ministro da Justiça e Direitos Humanos, Aníbal Torres, declarou que Ayala deveria não só ter disponibilizado seu cargo como fazia dias atrás, mas deveria ter renunciado diretamente. Por fim, a presidente do Congresso da República, María del Carmen Alva postou em sua conta no twitter “de muitos setores exigimos há dias a saída do ministro Ayala, que agora se demite de forma irrevogável. O governo deve entender que algumas decisões não podem esperar tanto”.

            Na terça-feira, dia 16 de novembro, como parte de sua interpelação, Walter Ayala terá que comparecer ao Plenário do Congresso para responder a uma série de sete perguntas sobre supostas pressões nos processos de promoção dentro das instituições armadas, denunciadas pelos ex-comandantes gerais do Exército e da FAP, José Vizcarra e Jorge Chaparro.

Fonte: La Republica

Disponível em: <https://larepublica.pe/politica/2021/11/14/walter-ayala-anuncia-su-renuncia-irrevocable-como-ministro-de-defensa/>. 

Petro promete restabelecer as relações da Colômbia com a Venezuela caso conquiste a presidência

Por Maria Eduarda Souza Satlher em 13 de novembro de 2021

Quando Juan Guaidó se autoproclamou presidente da Venezuela, em 2019, iniciaram-se meses de crises diplomáticas com a Colômbia, governada por Iván Duque, devido ao não reconhecimento das eleições realizadas em 2018, em que foi declarada a vitória de Nicolás Maduro. Em razão disso, já no governo de Maduro, os países acabaram rompendo todas as suas relações, em fevereiro de 2019. Desde então, o governo colombiano apenas dialoga com Guaidó e seus representantes. 

Entretanto, o candidato à presidência da Colômbia, Gustavo Petro, prometeu que, caso ganhe as eleições presidenciais de 2022, restabelecerá as relações diplomáticas e consulares com a Venezuela, independente de quem governasse o país. Essa declaração é muito importante para a política externa colombiana, uma vez que os países compartilham quase 2.200 km de fronteira e cooperação entre os países é essencial para o sucesso de ambos.

Fonte: El Colombiano

Disponível em: <https://www.elcolombiano.com/colombia/politica/petro-restablecera-relaciones-con-venezuela-si-gana-elecciones-de-2022-FG16010137&gt;.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.