Clipping Cone Sul #79

Inflação acelerada na Argentina 

Data: 18/04/2022

Os índices inflacionários na Argentina estão crescendo exponencialmente nos últimos meses. Nos três primeiros meses do ano, o balanço da inflação no país foi de 16,1%, ao passo que a Venezuela, historicamente marcada pela hiperinflação nos últimos anos, apresentou uma redução no indicador mencionado. Devido a issoo, nos últimos dias, diversos economistas questionam se a Argentina irá se tornar o país sul-americano com as maiores taxas inflacionárias na região. Em termos comparativos, a Argentina apresentou índices inflacionários na ordem de 3,9%, 4,7% e 6,7%, nos três primeiros meses de 2022, respectivamente. Em contrapartida, a Venezuela apresentou índices de 6,7%, 2,9% e 1,4%, nos mesmos meses apontados anteriormente. Assim, observa-se a redução da taxa na Venezuela nos meses de fevereiro e março, ao passo do aumento nos mesmos meses na Argentina. 

A redução da hiperinflação na Venezuela, por sua vez, é oriunda de diversas motivações, dentre elas, a adoção de algumas medidas em sua política monetária. Em primeiro lugar, o uso do dólar como forma de pagamentos internos têm representado cerca de 70% das transações e, para mais, com a abertura do mercado venezuelano, incluindo a redução de tarifas de importação, foram decisivas para a redução inflacionária. Em segundo lugar, o país reduziu a emissão monetária para o financiamento de empresas públicas, determinante para a redução da inflação e oferta de moeda na economia. Em contrapartida, a Argentina, em outubro de 2021, ampliou os gastos públicos do país, tornando a oferta de moeda superior aos aspectos macroeconômicos. 

BBC News Brasil. Inflação acelerada aproxima Argentina da Venezuela. BBC News Brasil, p. 1, 18 abr. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-61123704. Acesso em: 11 maio 2022.

Inflação do Brasil atinge maior valor em abril em 26 anos, +12,1% em 12 meses

Data: 13/05/2022

Embora tenha sido registrado uma desaceleração da inflação no mês de abril, comparado com a inflação de 1,62% no mês anterior, a inflação brasileira de 1,06% ainda é a maior no mês em 26 anos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a elevação de preços nos setores de alimentos, bebidas e transportes foi a principal responsável por pressionar para cima a inflação brasileira no mês de abril. Tais setores também foram os mais afetados com a alta do preço das commodities e pelas demais consequências econômicas do conflito Rússia-Ucrânia. Diante desse quadro atual, os preços na economia brasileira subiram 12,13%, nos últimos 12 meses até abril, o que lançou sobre as perspectivas econômicas certo pessimismo. Frente a piora das expectativas, o Bacen estuda elevar a taxa de juros no mês de junho para combater a inflação.   

AIRES, Marcela. Inflação do Brasil atinge maior valor em abril em 26 anos, +12,1% em 12 meses. Reuters, 11 maio de 2022. Disponível em: https://www.reuters.com/business/brazils-inflation-hits-highest-april-26-years-121-12-months-2022-05-11/. Acesso em: 13 maio de 2022

Inflação no Chile acelera e vai a 10,5% nos últimos 12 meses

Data: 13/05/2022

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o Chile registrou um crescimento acumulado, nos últimos 12 meses, de 10,5% na inflação. Tal dado da inflação chilena é o maior registrado desde 1994, quando o país atingiu uma inflação média de 11,52% no ano. Em conformidade com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), os setores de alimento, bebida alcoólica e lazer foram os mais afetados com a elevação de preços, chegando a 2,9% e 2,3% de aumento, respectivamente.

Inflação no Chile acelera e vai a 10,5% nos últimos 12 meses. Valor Econômico, 06 maio de 2022. Disponível em: https://www.google.com.br/amp/s/valor.globo.com/google/amp/mundo/noticia/2022/05/06/inflao-no-chile-acelera-e-vai-a-105-pontos-percentuais-nos-ltimos-12-meses.ghtml. Acesso em: 13 maio de 2022

  Brasil e Argentina e abertura econômica internacional 

                                                                                                    Data:11/05/2022

Os países do Cone Sul são responsáveis por uma parte substantiva do mercado de commodities, sendo destacado o grande comércio de minérios, grãos e carnes. Entretanto, essa intensa exportação de produtos principalmente para a China não simboliza necessariamente uma extensa  abertura comercial dos países, uma vez que segundo a CEPAL, tanto o Brasil quanto a Argentina apresentam os menores índices de abertura econômica internacional dentre os países da América Latina. Essa classificação da CEPAL demonstra que ambos países são ainda muito fechados no que tange ao comércio exterior, sendo calculado o índice a partir da relação das trocas comerciais (importações/exportações) com o PIB do país. Essa pontuação está relacionada com a  competitividade das empresas nacionais, dificuldades de internacionalização, burocracias e barreiras.  

OSORIO,Sebastián.Argentina y Brasil, los países con menor apertura económica internacional de LatAm. Bloomberg Línea , 11 maio 2022. Disponível em: https://www.bloomberglinea.com/2022/05/11/argentina-y-brasil-los-paises-con-menor-apertura-economica-internacional-de-latam/. Acesso em: 11 maio 2022.

 O corte dos impostos de importação

     Data:11/05/2022

A pressão inflacionária tem tirado o sono de uma boa parte da população brasileira, que se assusta quando coloca combustível no carro ou simplesmente vai fazer  compras no supermercado. Na tentativa de conter a inflação, o  Banco Central do Brasil tem realizado  aumentos sucessivos da Selic. Além desse mecanismo, recentemente o governo anunciou o corte do imposto sobre  importações de 11 produtos, sendo estes vindos da área de alimentos,compostos químicos e ligas de aço. A expectativa do Ministério da Economia é diminuir o preço desses produtos e assim aliviar os aumentos vistos nos últimos meses, e para isso o governo prevê abrir mão de R$700 milhões de reais em impostos. O corte nos preços desses produtos respeita a lista de exceções à tarifa externa comum do Mercosul, e essa questão impediu a isenção de uma quantidade maior de produtos.

RUSSI,Anna. POR INFLAÇÃO, governo corta imposto de importação sobre 11 produtos. CNN Brasil, 11 maio 2022. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/business/por-inflacao-governo-corta-imposto-de-importacao-sobre-11-produtos/. Acesso em: 11 maio 2022.

Brasil assinará acordo com 10 países para acelerar liberação de mercadorias importadas e exportadas

Data: 13/05/2022

Definido como uma das prioridades nos assuntos bilaterais, o governo brasileiro pretende assinar no próximo dia 19, um acordo que visa acelerar a liberação de mercadorias importadas e exportadas. O acordo, cujo objetivo é facilitar o comércio, por meio do tratamento especial das aduanas a empresas com bom histórico, envolve países próximos como: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai. Segundo o subsecretário de Aduana e Comércio Exterior, Fausto Vieira Coutinho, a busca de maior velocidade na liberação de mercadorias importadas e exportadas “é um estímulo para que as empresas mantenham a conformidade”. 

OTTA, Lu. Brasil assinará acordo com 10 países para acelerar liberação de mercadorias importadas e exportadas. Valor Econômico, 10 maio de 2022. Disponível em: https://www.google.com.br/amp/s/valor.globo.com/google/amp/brasil/noticia/2022/05/10/brasil-assinara-acordo-com-10-paises-para-acelerar-liberacao-de-mercadorias-importadas-e-exportadas.ghtml. Acesso em: 13 maio de 2022

Goldman Sachs revisa previsão do PIB brasileiro a 1,5% em 2022

Data: 13/05/2022

Divulgado no dia 13, o grupo Goldman Sachs fez uma revisão para cima na projeção de crescimento econômico brasileiro. A expectativa do grupo financeiro era que houvesse um crescimento do PIB brasileiro de 0,6%. No entanto, o banco norte-americano, num relatório mais recente, projetou um percentual de crescimento maior comparado ao previsto anteriormente, de 1,5%. Segundo o relatório, o setor de serviços foi o que mais pressionou para cima a previsão de crescimento econômico do país, embora também tenha sido àquele que mais sangrou com as medidas de restrição, durante a pandemia. A Goldman Sachs também atribui a correção da projeção do PIB ao fortalecimento do mercado de trabalho. Em harmonia ao atual otimismo, o grupo também projetou uma queda do PIB brasileiro em 2023, para 0,9%. Antes, nesse mesmo cenário era previsto uma baixa de 1,2%.

NASSIF, Tamara. Goldman Sachs revisa previsão do PIB brasileiro a 1,5% em 2022. CNN Brasil, 13 maio de 2022. Disponível em:  https://www.cnnbrasil.com.br/business/goldman-sachs-revisa-previsao-do-pib-brasileiro-a-15-em-2022/. Acesso em: 13 maio de 2022

O peso digital irá ficar para mais tarde 

Data:11/05/2022

O Banco Central chileno busca criar a sua própria moeda digital, para assim aprimorar a economia chilena e o setor financeiro do país. Segundo o banco, a moeda poderia ajudar a desenvolver um sistema financeiro mais competitivo, resiliente e inclusivo. A previsão era que a emissão da moeda digital fosse ocorrer no início de 2022 e para isso foi criada uma comissão especializada para definir as métricas financeiras e operacionais dessa nova incursão.

Todavia, o animo ao entorno dessa criação foi retardado por um certo período de tempo, uma vez que a intenção do banco é esperar por uma análise mais ampla e completa, que aborde melhor os pontos positivos e negativos. O adiamento do do peso digital perpassou pela definição de futuros workshops com entidades privadas e públicas do setor financeiro, e além disso, seminários com especialistas. Toda essa cautela em deixar o debate o mais amplo possível deve-se ao cuidado com a reação causada na economia, tendo em vista, que essa transformação é bem recente e não tem muitos exemplos de bancos centrais emissores de moedas digitais para se espelhar.

VILLEGAS, Alexander. CHILE’S central bank pushes back digital currency decision. Reuters, 11 maio 2022. Disponível em: https://www.reuters.com/world/americas/chiles-central-bank-pushes-back-digital-currency-decision-2022-05-11/. Acesso em: 11 maio 2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.