Clipping Países Amazônicos #19

Foto: El País

Reabertura de fronteiras e retomada de voos entre Colômbia e Venezuela simbolizam as mudanças políticas no governo Petro.

21/09/2022

Através da eleição presidencial colombiana neste ano, que elegeu Gustavo Petro o novo presidente do país, as relações bilaterais entre Colômbia e Venezuela voltaram a ser exploradas. Elas estavam em crise desde 2019, quando o ex-presidente colombiano, Ivan Duque, reconheceu Juan Guaidó, opositor do atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, como o presidente do interino do país vizinho. 

Um marco desta reaproximação se deu através da nomeação de Armando Benedetti como novo embaixador colombiano na Venezuela há algumas semanas atrás e, agora, com o anúncio da reabertura de fronteiras entre os países no próximo dia 26 de setembro, retomando os voos entre suas capitais, Caracas e Bogotá. O presidente Petro se pronunciou, ressaltando as relações de irmandade que devem ser nutridas, ademais de seu ministro do interior, Alfonso Prada, dando ênfase ao lado comercial. 

Apesar de as instituições reguladoras do setor aeronáutico de ambos os países terem dado aval para duas companhias aéreas operarem, a Avianca e a Wingo, elas esperam uma permissão, mediante visita técnica, para poderem dar início às operações.

Fonte: https://cnnespanol.cnn.com/2022/09/15/vuelos-colombia-venezuela-reanudan-lo-que-sabemos-orix/

Ex-presidente da Bolívia coleciona derrotas ao ter sua prisão preventiva ratificada e prolongada por justiça boliviana.

15/09/2022

A prisão preventiva da ex-presidente da Bolívia, Jeanine Añez, junto com seus ex-ministros Álvaro Coímbra e Rodrigo Guzmán, foi ratificada no dia de ontem após uma tentativa de sua defesa em revogar a decisão judicial, em primeira instância, pelo processo conhecido por Golpe de Estado I, realizado em março de 2021. A defesa argumenta que as acusações de terrorismo, sedição e conspiração ficaram fora do ordenamento jurídico, tendo o Ministério Público boliviano usado este mesmo argumento para prolongar a prisão preventiva de Jeanine e ex-ministros. A tentativa não foi exitosa, tendo a justiça boliviana mantido a prolongação do encarceramento dos acusados, tendo em vista a complexidade do caso, além do surgimento da necessidade de se realizar mais investigações frente a novos dados.

Após o encarceramento pelo Golpe de Estado I, Añez foi condenada a mais 10 anos de prisão por outro processo judicial, o Golpe de Estado II. Somados até hoje, ela – na penitenciária Miraflores – e seus ex-ministros – na penitenciária São Pedro – estão há 18 meses sob encarceramento aguardando julgamento.

Fonte: https://elmundo.com.bo/ratifican-la-detencion-preventiva-de-anez-y-dos-de-sus-exministros/

Congresso do Peru exige renúncia do ministro do Transporte e Comunicação

15/09/2022

Congressistas peruanos, através de uma votação, aprovaram uma moção contra o ministro de Transportes e Comunicação do país, Geiner Alvarado López, com 94 votos a favor, 14 contra e 8 abstenções. Pela constituição peruana, a censura legislativa estabelece que o ministro deve renunciar mediante aceite do presidente dentro de 72 horas.

O argumento que sustenta a moção contra López se dá em torno de uma suposta participação do ministro em esquemas e atos ilícitos ao fraudar licitações enquanto ocupava outro ministério, a fim de desviar altas quantias de dinheiro.

O ministro se defendeu das acusações, afirmando nunca ter usado de seu cargo para benefício próprio e que sempre agiu em conformidade com as leis, tendo entregue ao Legislativo informações probatórias de sua inocência.

Fonte: https://cnnespanol.cnn.com/2022/09/15/peru-congreso-renuncia-ministro-transportes-y-comunicaciones-orix/

O desmatamento que assola a Venezuela

15/09/2022

O desmatamento e deflorestamento da região amazônica venezuelana cresce em ritmo acelerado. O desmatamento, nos últimos 5 anos, se equivale aos 15 anos anteriores somados, uma área que corresponde a aproximadamente 3 vezes o território de Caracas, capital do país, e 612 campos de futebol.

O país se tornou líder na região no quesito de perda de áreas florestais com pouco contato humano, tendo representado uma perda menor que a média regional nas últimas duas décadas, 4,1% contra 9,9%. Entretanto, com o crescimento deste fenômeno, o desmatamento cresceu 170% desde 2015, tendo a perda de áreas florestais correspondido a 19% entre 2001 e 2015, enquanto que de 2016 à 2020, esse número já corresponde a 35%.

O aumento desse deflorestamento corresponde ao avanço de atividades nas áreas cobertas por tais biomas, como a extração de minérios, atividades agropecuárias frente à crise alimentar no país, além de queimadas, em que o país é líder dentre os países amazônicos. Esses dados contradizem a postura do governo para com instituições e foros internacionais, que usa da narrativa de que o país está revertendo a situação, além de se comprometer ao reflorestamento.

Fonte: https://elpais.com/america-futura/2022-09-15/como-si-tres-caracas-se-perdieran-cada-ano-la-voraz-deforestacion-que-asola-a-venezuela.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.